.

Funasa ser� primeiro �rg�o da administra��o a ser reestruturado segundo os padr�es do governo Dilma Rousseff

A Funda��o Nacional de Sa�de (Funasa) ser� o primeiro �rg�o da administra��o p�blica a ser reestruturado, segundo o novo padr�o de gest�o estabelecido pelo governo Dilma Rousseff. Para tratar da reestrutura��o no �rg�o foi realizada nesta quarta, dia 19, a primeira reuni�o entre integrantes do Minist�rio da Sa�de e do Instituto de Desenvolvimento Gerencial (INDG), que tem o empres�rio Jorge Gerdau como um de seus idealizadores.

Acelerar a execu��o de obras de saneamento do PAC que est�o sob responsabilidade da Funasa � um dos objetivos imediatos dentro do novo modelo de gest�o. Reduzir possibilidade de fraudes e de desvios de recursos, principalmente na �rea de compra e aquisi��o de medicamentos, � outro desafio.

A parceria foi acertada pelo ministro da Sa�de, Alexandre Padilha, e Gerdau nos primeiros dias de governo, por determina��o da presidente Dilma Rousseff. Na primeira reuni�o ministerial, semana passada, Dilma reafirmou o compromisso com melhoria de gest�o do governo e confirmou a cria��o do Conselho de Gest�o Competitiva, que ter� Gerdau como um de seus executivos.

Na reuni�o entre t�cnicos do INDG e o ministro Padilha ficou acertado que no prazo de um m�s ser� entregue um plano de gest�o e moderniza��o administrativa da Funasa. Segundo o pr�prio Padilha, � preciso acelerar as obras de saneamento pelo PAC, que representam 94% das a��es da Funasa. Em valores totais, o investimento em saneamento pela Funasa soma R$ 1 bilh�o.

Padilha explicou que a parceria com o instituto de Gerdau ser� tamb�m em outras tr�s �reas do Minist�rio da Sa�de: na Diretoria Log�stica, para compra e aquisi��o de medicamentos, insumos e equipamentos, com o objetivo de acelerar os processos e reduzir custos; na Anvisa, para a redu��o de prazo e registro de medicamentos, outros produtos e equipamentos; al�m de manter a consultoria nos hospitais federais do Rio de Janeiro para implementar um modelo de governan�a e de melhoria no atendimento ao p�blico.

Fonte: Sintsep-GO com Ag�ncia Brasil