Calendário de janeiro prevê deliberação sobre paralisações, protestos e greve geral contra reajuste anunciado pelo governo Bolsonaro apenas a algumas categorias. Confira e participe

Começa nessa sexta-feira, 7/1, uma rodada de reuniões de servidores públicos para discutir a situação da categoria em 2022. Além da PEC 32, da reforma Administrativa, que segue ameaçando o setor público e precisa ser derrotada no Congresso Nacional, servidores se movimentam em torno de uma possível greve geral. Com salários congelados há cinco anos, a maioria dos servidores do Executivo Federal protesta frente ao reajuste anunciado pelo governo Bolsonaro apenas para beneficiar carreiras da Polícia Federal (PF), da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e do Departamento Penitenciário Nacional (Depen).

No dia 20/01, a partir das 9 horas, a Condsef/Fenadsef, que representa a maioria dos federais, realiza Plenária Nacional, segunda maior instância deliberativa da entidade, que pode deliberar sobre a greve geral da base. No dia 14/01, a entidade participa da reunião do Fonasefe que, além da greve geral do funcionalismo, também organiza um Dia Nacional de Luta para o próximo dia 18/01.

“Discutir a administração pública como um todo”
Ao Brasil de Fato, o secretário-geral da Condsef/Fenadsef, Sérgio Ronaldo da Silva, representando o Fonasefe, argumentou que a categoria quer tratar não apenas de recomposição salarial e da perda do poder de compra do funcionalismo, mas de uma necessária reestruturação do setor público, “não como a reforma administrativa que prevê a destruição do serviço público”.

“Nós queremos discutir a administração pública como um todo”, aponta Sérgio. “A gente quer que faça concurso público, pra recompor a força de trabalho, quer que melhorem os recursos pra ciência, pra educação, pras políticas de saúde, entre outras coisas”.

É inegável que o congelamento salarial que corroeu o poder de compra da categoria nos últimos anos é um fator preocupante. De acordo com levantamento do Dieese, as perdas salariais da maioria do Executivo podem ultrapassar 40% a depender da categoria a exemplo de servidores do PGPE (Plano Geral Poder Executivo) e CPST (Carreira da Previdência, Saúde e Trabalho). Nessas duas carreiras se concentram a maioria dos servidores federais ativos, aposentados e pensionistas.

Confira o calendário de reuniões que vão ocorrer de modo remoto através do Zoom:
:: Dia 7 | Reunião 3 esferas às 16h;

:: Dia 10 | Reunião Direção Nacional às 9h;
:: Dia 11 | Reunião Conselho Deliberativo de Entidades (CDE) às 9h;
:: Dia 14 | Reunião Fonasefe a partir das 8h;
:: Dia 20 | Plenária Nacional da Condsef/Fenadsef a partir das 9h que pode deliberar greve geral;
:: Dia 26 a 30 | FSM Porto Alegre (com atividades presenciais e virtuais).

Fonte: Condsef/Fenadsef