.

Dieese e Diap afirmam que governo est� patrocinando a aprova��o de pautas prejudiciais aos servi�os p�blicos como os PLP”s 549, 248, 92, al�m da previd�ncia complementar no setor p�blico

Onze entidades nacionais (Andes, CNTSS, Condsef, CUT, Conlutas, Fasubra, Proifes, Sinal, Sindfisco Nacional, Sintbacen, Unacom Sindical) se reuniram nesta ter�a-feira, 18 de janeiro, para discutir a unidade em torno de bandeiras de luta essenciais aos servidores federais. Todas afirmaram que a uni�o de for�as � essencial para derrotar projetos prejudiciais aos trabalhadores e servi�os p�blicos.

Alexandre Ferraz (Dieese) e Ant�nio Augusto Queiroz (Diap) fizeram exposi��o sobre o atual cen�rio pol�tico. O recado foi dado: o governo quer aprovar pautas perigosas e desfavor�veis ao pa�s. Portanto, a categoria precisa estar preparada para virar o jogo. Os eixos de campanha apresentados pela Condsef foram bem recebidos e, nos pr�ximos dias, ser�o discutidos pelas bases das demais entidades. Na pr�xima quarta, dia 26, haver� nova reuni�o que define a pauta unificada dos federais. Ser� agendada ainda a data para o lan�amento da Campanha Salarial 2011 apontada para a 2� quinzena de fevereiro.

Tr�s foram as amea�as centrais indicadas por Diap e Dieese: os PLP”s 549, 248 e a tentativa de aprova��o de uma previd�ncia complementar para o setor p�blico. Juntos, eles prop�em limites aos investimentos p�blicos – que na pr�tica devem significar congelamento de sal�rios – e amea�am os servidores os deixando vulner�veis e afastados do interesse maior do Estado que � atender a sociedade com servi�os p�blicos de qualidade. Outros projetos, como o PL 92 que pretende criar funda��es estatais de direito privado, continuam interessando a uma minoria e amea�ando os servi�os p�blicos.

Press�o � fundamental
O Dieese alertou que as novas rodadas de negocia��o no Minist�rio do Planejamento devem ser mais dif�ceis e criteriosas. O or�amento para este ano prev� apenas o que j� est� tramitando ou j� foi aprovado pelo Congresso Nacional. Ant�nio Augusto, do Diap, avalia que para alterar o quadro os servidores v�o precisar investir forte na press�o junto aos parlamentares e tamb�m junto � Secretaria Geral da Rep�blica, mediadora de processos de conflito no Executivo.

Confira os eixos de luta propostos pela Condsef:

1) Nenhuma reforma que retire diretos dos trabalhadores;
2) Regulamenta��o da Negocia��o Coletiva;
3) Retomada da luta dos PL�s 549, 248, 92;
4) Reabertura das negocia��es e cumprimento de memorial assinado com SRH, Condsef e CUT;
5) Tratamento ison�mico entre ativos, aposentados e pensionistas;
6) Data base para servidores em 01/05.