.

Esta semana promete ser bastante movimentada para os servidores. De terça a quinta, a Condsef tem nove reuniões agendadas com a Secretaria de Relações do Trabalho (SRT) do Ministério do Planejamento para tratar de questões setoriais.

No dia 19 estarão em pauta as demandas dos servidores das Agências Reguladoras, da Carreira de Ciência e Tecnologia (C&T) e da Asmetro. No dia seguinte serão discutidas as reivindicações específicas da Defesa e do Inpi. Para fechar a semana, na quinta-feira, em pauta o INEP/FNDE, Dnit, Ibama e Abin.

Além das reuniões da próxima semana, entre os dias 25 e 26 de maio, a Condsef tem outros cinco encontros já agendados com a SRT/MPOG. Dessa vez estarão em pauta os setores do Incra, Cultura, Suframa, IEC/Primatas e anistiados.

Campanha Salarial
Paralelo às discussões das questões setoriais, a Condsef está negociando com o Ministério do Planejamento a pauta de reivindicações da Campanha Salarial 2015. Na última quinta-feira, dia 14, a entidade se reuniu com a SRT para tratar do reajuste dos benefícios e da regulamentação da negociação coletiva no setor público (Convenção 151 da OIT – Organização Internacional do Trabalho).

O secretário de Relações do Trabalho do Ministério do Trabalho, Manoel Messias, participou da reunião com a Condsef e o Planejamento. Ele explicou que a Convenção 151 da OIT tem sido discutida num fórum junto com as centrais sindicais.

Messias explicou também que a situação ainda não foi resolvida por questões políticas. Apesar de o governo federal já ter entrado em consenso, ainda faltam os estados e municípios fecharem a proposta. Lembrando que a regulamentação será comum às três esferas (União, Estado e Município).

Benefícios
Sobre o reajuste dos benefícios, o governo apresentou uma proposta. Ele ofereceu R$ 455,00 para o auxílio alimentação e R$ 321,39 para auxílio creche, que estão em R$ 373 e R$ 73,07, atualmente. O governo fez uma simulação sobre os valores da saúde suplementar. O menor valor, que hoje é R$ 82, passaria para R$ 110. Já o maior sairia de R$ 167 para R$ 204,49.

A Condsef discorda da proposta do governo. A luta é pela equiparação com os valores pagos no Legislativo e no Judiciário, já que todos saem da mesma fonte, a União. A confederação também discorda do prazo para implantação dos reajustes. O Planejamento fala em janeiro de 2016, mas a entidade quer em junho de 2015, já que não depende de previsão orçamentária. Como não houve entendimento, o Planejamento se comprometeu em marcar uma nova reunião para tratar desses assuntos.

Sintsep-GO com Condsef