Antônio Augusto destaca as modificações no texto que será submetido ao 2º turno de votação a partir de 6 de agosto. Assessor político chama atenção para três núcleos: permanente, temporário e transitório 

O jornalista e analista político, Antônio Augusto de Queiroz (foto), do Diap (Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar) escreveu artigo publicado no Correio Braziliense, tratando das regras aplicáveis aos servidores públicos e que foram aprovadas na votação em 1o turno da Câmara dos Deputados na reforma da Previdência. Antônio Augusto dividiu a análise por núcleos chamados “permanente, temporário e transitório”. 

No primeiro núcleo (permanente) são tratados princípios gerais com foco no aumento de receita mediante aumento de contribuições previdenciárias, redução de despesa. Aí e incluem restrições na forma de cálculo e acesso a benefícios de servidores que podem ser disciplinados depois de aprovado o texto final por lei ordinária ou complementar. 

O segundo núcleo analisado (temporário) integra regras que só vão vigorar enquanto não for aprovada a lei que definirá novos critérios para concessão de benefícios. Essas só valem para futuros servidores, aqueles que ingressarem depois da promulgação da reforma e deixam de existir assim que a lei entrar em vigor. 

No terceiro núcleo estão as regras de transição que serão válidas para o servidor que já ingressou ou vai ingressar no serviço público até a data da promulgação da emenda à Constituição. Essas regras vão continuar em vigor até que haja nova reforma ou que se aposentem todos os atuais servidores. 

>> Leia a íntegra do artigo: Regras válidas para o servidor na reforma da Previdência – aprovadas em 1º turno na Câmara

Há ainda outras 3 etapas de votação (2º turno na Câmara e votação em dois turnos no Senado). Por conta disso, há espaço para debate, mobilização e luta em busca de alterações no texto e votos em defesa dos servidores e de toda classe trabalhadora. Um trabalho intenso continua sendo feito com o objetivo de garantir que nenhum trabalhador, com destaque aqui para a situação dos servidores, para que não sofram prejuízos graves, entre eles os que já ingressaram no serviço público e passaram por várias reformas.

Neste sentido, o secretário-geral da Condsef/Fenadsef, Sérgio Ronaldo da Silva, fez um vídeo destacando a importância da mobilização durante o chamado recesso branco no Congresso Nacional. Sérgio fala do calendário de lutas, que segue a todo vapor, e faz uma convocação especial para o 13 de agosto, Dia Nacional de Luta contra a Reforma da Previdência. Confira:

Com informações do DIAP e da Condsef/Fenadsef