semana da greve geral come a com protesto de povos ind genas em bras lia

.

Índios promovem grande manifestação no Congresso Nacional contra PEC que retira demarcação de terras e contra genocídio da população indígena por ruralistas

A semana que será marcada por uma greve geral da classe trabalhadora nessa sexta-feira, 28, começou agitada em Brasília. Índios de diversas etnias promoveram uma grande manifestação na tarde dessa terça e ocuparam o gramado em frente ao Congresso Nacional. Os índios protestam contra a PEC 215 apoiada pelo governo ilegítimo de Michel Temer e que retira a demarcação de terras indígenas tornando ainda mais vulnerável a situação desses povos. Além disso, os índios chamam atenção para o genocídio de sua população provocado por ruralistas.

Apesar da repressão policial, o protesto dos povos indígenas é um dos maiores e mais emblemáticos já ocorridos. A reação já está acontecendo e deve ganhar força com o aumento da disposição da luta de toda a classe trabalhadora do País que está sob ataque de um governo ilegítimo que quer impor políticas que aniquilam direitos, políticas públicas e acabam com perspectivas de avanços sociais e econômicos no Brasil. A classe trabalhadora precisa dar um basta nesse processo. Nessa sexta, 28, todos juntos na greve geral contra as reformas da Previdência, Trabalhista e contra a entrega de nossas riquezas ao capital estrangeiro, em defesa dos serviços públicos, vamos à luta.

A Condsef/Fenadsef, todas as suas entidades filiadas no Brasil, além de outras entidades representativas de servidores que integram o Fonasefe, estarão junto com as demais categorias do setor público, privado, do campo e da cidade que já aprovaram a paralisação de atividades nessa sexta. A Internacional dos Serviços Públicos (ISP), entidade a qual a Condsef/Fenadsef é filiada, divulgou moção de apoio aos trabalhadores e trabalhadoras do Brasil e apoio total à Greve Geral de 28 de abril. “Diante dos ataques à democracia e aos direitos sindicais e trabalhistas, promovidos pelo governo ilegítimo de Michel Temer, a Greve Geral mostra claramente a forte oposição da classe trabalhadora aos retrocessos”, destaca a carta assinada pela secretária-geral da ISP, Rosa Pavanelli. A ISP representa 20 milhões de trabalhadores em 162 países.

Fonte: Condsef

VEJA MAIS

planejamento incorpora o da gratifica o deve ser paga em junho

.

Governo deve pagar em junho valores de incorporação de gratificação na aposentadoria para quem já assinou termo de opção. Planejamento informou à Condsef/Fenadsef que setor de tecnologia ainda trabalha para garantir que sistema que calcula os valores da aposentadoria a partir de nova regra fique pronto

Servidores que já assinaram termo de opção que garante nova regra para contagem de gratificação para fins de aposentadoria terão que esperar junho para receber os valores atualizados. Essa foi a nova previsão dada pelo Ministério do Planejamento para que os pagamentos com novos valores sejam liberados. Segundo o ministério, o setor de tecnologia responsável pelo sistema que efetuará os cálculos desses novos valores ainda não conseguiu resolver situações técnicas, entre elas a parametrização que seria o encontro das diferentes situações dos diversos setores da administração pública, necessários para aplicação das novas regras e liberação dos pagamentos. Nesta segunda-feira, dia 24, o Planejamento informou a Condsef/Fenadsef que a nova previsão para que esse pagamento ocorra é no mês de junho, referente ao contracheque de maio.

Desde o início do ano, o Sintsep-GO tem cobrado sistematicamente, das respectivas coordenações de recursos humanos dos órgãos em Goiás, uma previsão de quando os novos valores passarão a ser recebidos pelos servidores. Confira aqui o último informe dado pelo sindicato referente a esta situação.

Pelas leis que alteram as regras da contagem da gratificação para fins de aposentadoria, o servidor que assinar o termo de opção passaria a receber os novos valores, que serão escalonados até 2019, a partir de janeiro desse ano. O pagamento será retroativo, mas vale destacar que essa retroatividade só é assegurada ao servidor a partir da assinatura do termo de opção que estabelece as novas regras asseguradas pelas Leis que são fruto de acordo firmado entre Condsef e governo. Para que o servidor faça jus a esse direito, a Condsef/Fenadsef recomenda que aqueles que ainda não fizeram a opção que assinem o termo. Dúvidas comuns sobre o que muda podem ser tiradas na cartilha que o setor jurídico da Condsef/Fenadsef elaborou sobre o tema.

O Sintsep-GO, junto com a Condsef/Fenadsef, segue cobrando do governo celeridade para resolver a situação. Uma das preocupações é que os servidores também podem sofrer prejuízos quanto mais demorar a liberação do pagamento desses novos valores. Siga atento e confira as páginas do Sintsep-GO e da Condsef.

Sintsep-GO com informações da Condsef

VEJA MAIS

sintsep go e sintfesp go to preparam atividade de mobiliza o para greve geral



.

Nesta quarta-feira, dia 26 de abril, às 10 horas, Sintsep-GO e Sintfesp GO/TO realizam assembleia da categoria, preparando para a greve geral do dia 28 de abril. A atividade ocorre no auditório do Núcleo Estadual do Ministério da Saúde (Nems) e contará com a seguinte pauta:

-Preparação para a greve geral do dia 28 de abril;
-Reformas previdenciária e trabalhista;
-Campanha salarial 2017;
-Terceirização.

De acordo com o presidente do Sintsep-GO, Ademar Rodrigues, os servidores públicos federais devem estar “unidos e preparados” para assumir a linha de frente das atividades da greve geral. “As chamadas ‘reformas’ do governo Temer chegam para destruir as conquistas dos servidores públicos e dos trabalhadores da iniciativa privada. Não tem cabimento nós assistirmos um congresso corrupto e um governo atolado em corrupção, sem qualquer legitimidade, acabar com a aposentadoria, com o vínculo empregatício e com os direitos adquiridos pelos trabalhadores brasileiros”, ressalta.

Programação
De acordo com a programação de sexta-feira (28), os trabalhadores vão se reunir às 8 horas, em frente à Assembleia Legislativa de Goiás. “Este será o ponto de concentração”, informa Ademar. Logo após, sairão em passeata até o Coreto da Praça Cívica, seguirão pela Avenida Goiás, finalizando com ato na Praça do Bandeirante.

A movimentação na Capital também deverá ser seguida por diversas cidades do interior do Estado. “Nas cidades onde temos delegacias sindicais, como Jataí, Rio Verde, Morrinhos, Formosa, Ceres e Campos Belos estamos orientando os delegados sindicais a se unirem às demais entidades e movimentos sociais para as atividades em cada localidade”, orienta o presidente do Sintsep-GO.

VEJA MAIS

governo quer urg ncia nas reformas e trabalhador precisa reagir

.

Vamos todos para as ruas no dia 28 de abril dizer que ou param as reforma ou paramos o Brasil!

Um dia depois de os deputados federais terem derrotado o pedido de urgência na tramitação da reforma trabalhista, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), incorporou o estilo Eduardo Cunha – ex-presidente da Câmara – e deu um golpe, recolocando o mesmo projeto na votação. Inexplicavelmente, de um dia para o outro, 57 deputados mudaram de opinião e votaram a favor. Na primeira votação foram 230 votos favoráveis e 163 contrários. Na segunda votação, foram 287 a favor e 144 contra. Para ser aprovada, a urgência precisava de 257 votos.

A urgência para votar a reforma trabalhista acontece no memento em que a classe trabalhadora prepara uma grande mobilização nacional, com greve geral, prevista para o dia 28 de abril. O governo, de forma açodada, pretende votar a reforma na quarta, 26, dois antes da paralisação. Uma demonstração de cinismo e desrespeito com os trabalhadores e as vozes dissonantes. É uma prática do regime de exceção. É mais um golpe contra a classe trabalhadora.

Nada disso vai esfriar a luta dos trabalhadores. Pelo contrário, só reforça a necessidade de mobilização de toda a sociedade em defender seus direitos. No serviço público, vários setores já confirmaram que vão parar no dia 28. A Condsef/Fenadsef orienta os sindicatos filiados a intensificarem nas assembleias nos locais de trabalhão a importância da greve geral. Vamos todos para as ruas no dia 28 dizer que ou param as reforma ou paramos o Brasil!

Fonte: Condsef

VEJA MAIS

28 86 mais 581 companheiros s o contemplados com vit ria na justi a



.

O Sintsep-GO informa que 581 servidores filiados à entidade foram contemplados com vitórias judiciais relativas a ação dos 28,86%, do ano de 1997.

De acordo com a Assessoria Jurídica da entidade, 445 pagamentos serão feitos por meio de RPVs e 136 por meio de precatórios (valores acima de 60 salários mínimos), para o processo de número 1997.35.00.009402-8. “A estimativa é que as RPVs sejam pagas até o início do mês de junho. Já os precatórios, como migraram antes da definição do orçamento de 2018, podem ser quitados em até 18 meses, a contar do dia 30 de junho”, explica o advogado do Sintsep-GO, Welton Marden.

“Para exemplificar, o ex-presidente Lula pagava os precatórios no mês de abril. Já Dilma pagava em novembro, assim como o atual presidente”, complementa Marden.

“Aqueles que possuem litispendência não irão receber valores por agora, já que as pendências de quem está nessa situação agora que estão sendo analisadas”, pontua Welton.

O Sintsep-GO irá publicar a relação de órgãos e servidores beneficiados assim que tiver acesso a todos os dados.

VEJA MAIS

lista de fachin aumenta responsabilidade dos trabalhadores na greve do dia 28



.

A divulgação da lista de investigados por parte do ministro Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, traz aos trabalhadores brasileiros uma forte mensagem: é preciso colocar toda a força na greve geral do próximo dia 28 de abril.

A classe política que hoje dirige o país não tem condições éticas, legais e morais para permanecer no comando seja do governo Federal, seja do Congresso, seja no Executivo e Legislativo dos Estados brasileiros.

Sem legitimidade e afundados em denúncias de corrupção, eles querem empurrar para a população brasileira a responsabilidade por seus desmandos, retirando direitos como aposentadoria e garantias trabalhistas, precarizando as relações de trabalho por meio da terceirização irrestrita.

A intenção do governo Temer e de parte de seus ministros corruptos, com a maioria de seu Congresso corrupto (inclusive as direções da Câmara e do Senado), é arrancar ainda mais o sangue do trabalhador brasileiro, retirando a única coisa que ainda resta: os direitos conquistados, as garantias trabalhistas contidas na CLT, o direito de se aposentar “em vida”, com pelo menos um salário mínimo.

Em vez de cobrar as dívidas bilionárias dos principais devedores da Previdência Social, Temer e seus ministros, deputados e senadores querem jogar a conta nas costas do trabalhador, que irá PAGAR A PREVIDÊNCIA, mas não estará VIVO para se aposentar. E, se estiver, receberá MENOS QUE UM SALÁRIO MÍNIMO.

A Reforma Trabalhista, da mesma forma, coloca a lei ABAIXO do que for negociado com o patrão. Ou seja, quanto mais fraca e precária a categoria, mais explorados os trabalhadores serão. E, caso eles se oponham, podem ser DEMITIDOS e substituídos por TERCEIRIZADOS, com menos direitos ainda e mais explorados que aqueles que foram demitidos.

Como se vê, estamos a poucos passos da barbárie no Brasil, que em termos trabalhistas poderá se tornar MUITO PIOR QUE CHINA E ALGUNS PAÍSES ASIÁTICOS, cujas relações de trabalho beiram a ESCRAVIDÃO.

O Sintsep-GO manifesta seu repúdio aos 8 ministros, 24 senadores, 39 deputados e 3 governadores citados, bem como a todos aqueles que, de um modo ou de outro, estão envolvidos em atos ilícitos, mas não foram citados. Em Goiás, não podemos deixar de citar: governador Marconi Perillo (PSDB); prefeito de Goiânia, Iris Rezende (PMDB); deputado Federal Daniel Vilela (PMDB) e ex-prefeito de Aparecida de Goiânia, Maguito Vilela (PMDB).

Daniel Vilela é um dos deputados federais goianos que, na Câmara dos Deputados, apoia o golpe de Michel Temer – chamado pelo governo Federal de “reformas” – contra os trabalhadores brasileiros.

A única solução para nós, trabalhadores brasileiros, é parar o Brasil no dia 28 de abril, por tempo indeterminado, até que se retirem todas as reformas CONTRA OS TRABALHADORES e que se façam as reformas FAVORÁVEIS AOS TRABALHADORES.

A primeira delas é FORA TEMER. A segunda: convocação de eleições gerais, para todos os cargos. A terceira: cassação imediata dos direitos políticos de todos os envolvidos, com a devida punição.

Chega de impunidade!
Chega de carregar o Brasil nas costas e de sermos roubados, constantemente!
Dia 28 de Abril é GREVE GERAL!

SINTSEP-GO

VEJA MAIS

experi ncia da cut goi s debatida em semin rio de comunica o da fnu e da cnu



.

A convite da Federação Nacional dos Urbanitários (FNU) e da Confederação Nacional dos Urbanitários (CNU), a Central Única dos Trabalhadores no Estado de Goiás (CUT Goiás) participou, no dia 5 de abril, do 1º Seminário de Comunicação das Entidades, realizado em Brasília (DF). A CUT Goiás foi representada por sua assessora de Comunicação, Maísa Lima, que falou sobre A Importância da Formação das Redes de Comunicação Sindical para o Fortalecimento da Luta dos Trabalhadores.

Para a CUT Goiás, foi uma honra participar do evento, cujo objetivo era fomentar a formação, o debate e a criação de instrumentos de comunicação que contribuam para as lutas da classe trabalhadora. Daí que os temas do seminário abarcaram ainda Os Desafios da Comunicação Sindical perante a Hegemonia da Grande Mídia, a cargo da jornalista Cláudia Giannotti, coordenadora do Núcleo Piratininga de Comunicação; e A TVT como Aliada na Luta pela Comunicação, com o produtor Hamilton Rocha.

Comunicando em Rede
Maisa apresentou a experiência da CUT Goiás, que vem sendo levada a cabo na gestão do atual presidente, Mauro Rubem, destacando a importância do envolvimento concreto das lideranças sindicais para que tal iniciativa desse frutos como a Rádio Trabalhador – www.radiotrabalhador.com.br – e na parceria com as assessorias de Comunicação, até o momento, nove sindicatos: Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Goiás (Sintego), Sindicato dos Trabalhadores do Sistema Único de Saúde de Goiás (Sindsaúde), Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Federal no Estado de Goiás (Sintsep-GO), Sindicato dos Trabalhadores Federais em Saúde e Previdência (Sintfesp), Sindicato dos Funcionários da Fiscalização Municipal de Goiânia (Sindiffisc), Sindicato dos Farmacêuticos do Estado de Goiás (Sinfar), Sindicato dos Odontologista no Estado de Goiás (Soego), Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de Goiás (Fetaeg) e Sindicato dos Trabalhadores na Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos e suas Concessionárias, Permissionárias, Franqueadas, Coligadas e Subsidiárias no Estado de Goiás (Sintect).

“O poder da comunicação é um fato inquestionável, devido ao seu papel de convencimento. A burguesia sempre soube disso e tratou de se apropriar e consolidar a sua presença nas diversas mídias (jornal, rádio, TV, internet, etc). É através da comunicação que a direita informa e forma a população dentro dos seus próprios parâmetros morais, assim garantindo a continuidade da sua hegemonia”, pontua o Plano de Comunicação da CUT Goiás, distribuído para todos os participantes do seminário.

“No processo de luta classes, o movimento sindical precisa se organizar e quebrar o monopólio da informação. Nós defendemos a classe trabalhadora. Sim, porque a mídia tem seus donos e representa os interesses desses donos, embora queira nos fazer acreditar numa pretensa neutralidade, afirmando representar os interesses da sociedade.”, continua o documento, que foi detalhado para o público de seminário pela assessora Maisa Lima, que inclusive se colocou a disposição para maiores detalhes pelo e-mail maisaclima@gmail.com.

Fonte: CUT-GO

VEJA MAIS

sintsep go promove curso de teoria marxista



.

Sintsep-GO e entidades parceiras promovem curso sobre Teoria Marxista. São 13 encontros, a cada 15 dias, na Casa de Apoio do Sintsep-GO. O próximo é no dia 19 de abril, às 19 horas. Não perca!

Durante 13 encontros consecutivos, a cada 15 dias, o Sintsep-GO vai discutir as principais obras do filósofo, sociólogo e revolucionário socialista Karl Marx. O curso teve início no dia 5 de abril. A próxima aula está marcada para o dia 19 de abril, quarta-feira, às 19 horas, no Centro de Formação do Sintsep-GO (Casa de Apoio).

“Quem não participou da primeira aula pode participar desta. O conteúdo não é fechado”, explica a diretora de formação do Sintsep-GO, Márcia Jorge.

Todas as aulas são realizadas quinzenalmente, às quartas-feiras.

Mais informações pelo telefone: 0800-642-2010

VEJA MAIS

sintsep go pede esclarecimentos quanto contagem do tempo insalubre celetista



.

Sintsep-GO solicita à coordenação goiana de Recursos Humanos do Ministério da Saúde (MS) esclarecimentos quanto a aplicação do memorando nº 34/2016, que regulamenta e fundamenta o reconhecimento do tempo especial exercido no regime celetista para fins de conversão em tempo comum ou de concessão de aposentadoria especial

O Sintsep-GO, por meio do ofício nº 43 de 2017, solicitou à coordenação goiana de Recursos Humanos do Ministério da Saúde (MS) esclarecimentos quanto a aplicação do memorando nº 34/2016, do MS, que regulamenta e fundamenta o reconhecimento do tempo especial exercido no regime celetista (de 1980 a 1990) para fins de conversão em tempo comum ou de concessão de aposentadoria especial.

De acordo com o presidente do Sintsep-GO, Ademar Rodrigues, “as informações repassadas pelo Ministério da Saúde têm sido diferentes daquelas que temos obtido no núcleo do órgão em Goiás”, ponderou.

No documento, o sindicato solicita ao núcleo goiano resposta por escrito, a partir de consulta oficial à coordenação geral de gestão de pessoas do Ministério da Saúde.

VEJA MAIS
  • 1
  • 2