meirelles foge dos trabalhadores da previd ncia de goi s



.

Na última hora o ministro da Fazenda foi substituído pelo ministro do Desenvolvimento Social e Agrário em exercício, Alberto Beltrame

Diante de tantos absurdos promovidos contra a Previdência Social brasileira, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, não teve coragem de olhar nos olhos dos trabalhadores durante a inauguração da agência do Instituto Nacional da Seguridade Social (INSS Oeste), que ocorreu na manhã desta quarta-feira (30), às 10 horas.

O desejo do governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), era que Meirelles estivesse presente, tanto que a previsão de inauguração era o dia 3 de novembro, mas foi adiada para hoje.

Enquanto isso, os trabalhadores da antiga APS-Oeste viviam em condições degradantes, em meio a ratazanas, arquivos empoeirados e estrutura deficitária. Em seu discurso, o governador contou que em uma conversa com uma servidora ela disse já ter encontrado rato até em sua bolsa. Há doia anos a agência está pronta e só agora foi entregue para o atendimento ao segurado.

No lugar de Henrique Meirelles veio o ministro do Desenvolvimento Social e Agrário em exercício, Alberto Beltrame, e o presidente do INSS, Leonardo Gadelha. O Sindicato dos Trabalhadores Federais em Saúde e Previdência (Sintfesp-GO/TO) concorda com Beltrame quando ele diz que espera “que tenhamos dias melhores na Previdência, atendimento melhor e mais qualificado e mais conforto para usuários e agentes do INSS”, pois, para isso, é necessário que o governo esteja ao lado e não contra os trabalhadores.

O Sintfesp, junto com o Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Federal no Estado de Goiás (Sintsep-GO), Sindicato dos Trabalhadores Técnico-Administrativos em Educação de Instituições Federaia de Ensino Superior (Sint-Ifes) e a Central Única dos Trabalhadores (CUT Goiás) estiveram presentes à solenidade, em defesa da Previdência e protestando contra os desmontes promovidos por este governo maléfico ao povo.

Informações e foto: Sintfesp GO-TO

VEJA MAIS

viol ncia pol cia reprime manifesta o no gramado do congresso



.

Bombas e gás de pimenta foram usados para dispersar mais de 20 mil pessoas na Esplanada que pediam a derrubada da PEC do Fim do Mundo e Fora Temer. Sintsep-Go participou da atividade em Brasília

Integrantes do Sintsep-GO, estudantes, professores, servidores, representantes de comunidades indígenas, trabalhadores de diversos setores de todo o Brasil que participavam do Ocupaço em Brasília pela derrubada da PEC 55/16, que pode congelar investimentos públicos por pelo menos 20 anos foram atacados com bombas e gás de pimenta pela polícia. Mais de 20 mil pessoas participavam do ato de forma pacífica quando foram atacadas no momento em que se concentravam no gramado central do Congresso Nacional. O ataque dispersou a multidão gerando pânico. Há relatos de feridos e presos em meio ao protesto que, segundo participantes transcorria tranquilo sem nenhuma necessidade de repressão. Os gritos de “Fora Temer” também se destacaram na atividade em defesa de direitos da classe trabalhadora e contra retrocessos em políticas públicas.

bsb0.jpg

Vídeos e imagens da manifestação já circulam por várias redes sociais mostrando o ato pacífico e o momento do ataque. Para a Condsef esta ação da polícia foi injustificada e o direito à manifestação legítima da população precisa ser preservado. A desocupação violenta do gramado do Congresso que ocorreu nesta terça é um reflexo do momento da conjuntura preocupante pela qual atravessa o País. Não se pode aceitar que atos legítimos e pacíficos sejam reprimidos dessa forma colocando o Brasil cada vez mais em um estado de exceção. Essa afronta aos direitos dos cidadãos não pode ser tolerada. Ataques aos direitos da classe trabalhadora serão combatidos com a unidade e mobilização cada vez mais fortes da categoria.

A resistência à PEC 55 que é inconstitucional e contra um governo golpista que promove ataques constantes a direitos sem o devido debate com a sociedade devem continuar intensas e permanentes. Além dessa PEC a classe trabalhadora ainda enfrenta ameaças de uma nova reforma da previdência e a imposição de uma flexibilização nas leis trabalhistas. Outra situação com potencial para ocasionar uma série de prejuízos à classe trabalhadora é a liberação da terceirização também para atividade-fim. O Supremo Tribunal Federal (STF) adiou votação da matéria e ainda não há nova data para que o tema seja julgado. É preciso também atenção a essa agenda para que mais esse ataque a nossos direitos não aconteça. A terceirização fragiliza relações de trabalho e deixa o empregado à mercê de decisões que podem lhe prejudicar e afetar seus direitos.

Toda atenção é necessária nesse momento. Mais do que nunca, em cenários assim de graves ataques a direitos, todos os trabalhadores devem estar unidos e constantemente mobilizados. A agenda política imposta não tem deixado dúvida de que a ameaça aos direitos da classe trabalhadora está na ordem do dia. Mas também não resta dúvida de que a luta em defesa desses direitos precisa e vai acontecer. Devemos seguir reforçando nossa unidade e mobilização. Juntos somos fortes. Nenhum direito a menos. Nenhum passo atrás.

Com informações da Condsef

VEJA MAIS

sinstep go reivindica implanta o da carreira dos servidores do min do trabalho



.

Sindicato aproveitou a presença do ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, em Goiânia para entregar a ele a pauta de lutas e reivindicações dos servidores federais do órgão

O Sintsep-GO aproveitou a presença do ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, em Goiânia, nesta segunda, dia 28 de novembro, para entregar a ele a pauta de lutas e reivindicações dos servidores federais do Ministério do Trabalho. “Entre as principais questões apresentadas, destaca-se a implementação do plano de carreira do setor”, informou o presidente do Sintsep-GO, Ademar Rodrigues. Confira aqui o documento entregue pelo Sintsep-GO ao ministro.

Ronaldo Nogueira veio participar da inauguração da reforma do anexo do Ministério do Trabalho, praticamente ao lado do MAPA, na Praça Pedro Ludovico (Praça Cívica), em Goiânia. Segundo o ministro, a nova unidade traz melhores condições de trabalho aos servidores e permitirá cerca de 400 atendimentos por dia à população.

Além do Sintsep-GO, os auditores do trabalho também entregaram a Nogueira a solicitação para que ele faça gestões junto à Casa Civil para que encaminhe ao Congresso Nacional o Projeto de Lei (PL) que reestrutura a carreira da Auditoria Fiscal do Trabalho.

Conforme o Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais (Sinait), o PL é resultado de um acordo assinado em março com o governo federal e tinha previsão de entrar em vigor a partir de agosto.

“Estamos recebendo um tratamento discriminatório. Daí a categoria estar em greve desde julho. Mesmo assim, o governo não se posiciona”, denuncia a auditora fiscal Jacqueline Carrijo, alertando que muito mais do que a remuneração, esse PL representa a própria continuidade da inspeção do trabalho. “O que estamos assistindo hoje é ao aumento dos casos de trabalho infantil e do trabalho escravo”, disse.

Além de Ademar Rodrigues e Welison Araújo, ambos também integrantes da direção da CUT-GO, compareceram ao evento vários sindicalistas ligados à Central, como Ricardo Manzi (Sindicato dos Funcionários da Fiscalização Municipal de Goiânia – Sindiffisc) e Flaviana Barbosa (Sindicato dos Trabalhadores do Sistema Único de Saúde de Goiás – Sindsaúde/GO).

“O ministro se mostrou aberto à discussão. Afinal, esta é a única categoria do setor federal que ficou de fora, porque o PL ainda não chegou ao Congresso”, pontou Welison, diretor jurídico do Sintsep-GO e secretário de Políticas Sociais da CUT Goiás.

Sintsep-GO com CUT-GO

VEJA MAIS

sintsep go promove curso de forma o com em lio gennari



.

Leitura crítica dos meios de comunicação, análise de conjuntura e organização sindical de base foram os principais temas do curso, ministrado nos dias 24 e 25 de novembro, na sede da entidade

Propiciar uma leitura crítica da mídia e fomentar a construção de uma organização sindical de base. Estes foram os dois objetivos do seminário promovido pelo Sintsep-GO, por meio da diretoria de Formação, nos dias 24 e 25 de novembro, na sede da entidade.

Ministrado pelo educador popular Emílio Gennari, teólogo com pós-graduação em Ciências Sociais, o curso contou com a participação de 32 filiados, integrantes da base do Sintsep-GO e do Sindsaúde-GO.

Image00013.md.jpg A cada dia buscamos investir mais em formação, junto com os nossos filiados. Não se pode mais fazer a política sindical dos anos 60 e 70. A realidade mudou, a política mudou e a cabeça das pessoas também. A luta sindical talvez seja a mesma, mas com novas bandeiras e em novos formatos”, ponderou a diretora Márcia Jorge.

Image00007.md.jpg Erivânio Herculano da Silva, companheiro da base do Sindsaúde-GO, aproveitou muito a programação deste segundo dia de seminário, que abordou, principalmente, a organização sindical de base. “Nós, do Sindsaúde-GO, após uma greve vitoriosa de 65 dias e de um congresso no qual foi mudado o estatuto chegamos a uma fase de maturidade de nossa organização. Estamos investindo na formação dos núcleos sindicais nas unidades de trabalho. É uma nova etapa de nossa organização e o seminário foi importantíssimo para apontar caminhos neste sentido”, apontou.

Image00012.md.jpg Para Ludimila Lelis, vinculada ao Instituto de Estudos Sócio-Ambientais da UFG (Iesa), a capacidade de canalizar a indignação das pessoas em ações proativas, promovendo o diálogo e a construção de ações nos vários espaços sociais nos quais se esteja inserido, falou mais alto. “Essa perspectiva de ser militante onde você estiver, se esforçando para construir o diálogo e transformá-lo em ação social é o que mais me chamou atenção”, reforçou.

Ligada à base do Sindsaúde-GO, Ludimila se sentiu mais confiante após as explanações do professor Emílio. “Alguns assuntos abordados vieram justamente ao encontro do que tem sido discutido pela direção da entidade com a base. A sensação é a de que estamos no caminho certo”, considera.

Coletividade
Além da leitura crítica da mídia e da organização sindical, o curso apontou também alguns elementos necessários para uma análise de conjuntura e para a construção de um sentimento de “pertencimento” e “coletividade” aos servidores que constituem a base da entidade. “É esse sentimento de pertencimento e de coletividade que dá força ao trabalhador para que, na hora certa, ele evoque sua autonomia, sua capacidade de rebeldia e indignação contra as injustiçccedil;as, sabendo que poderá contar com o apoio do sindicato”, finaliza Márcia.

VEJA MAIS

festa dos aposentados e pensionistas edi o 2016



.

Este ano, nossa festa será realizada no dia 17 de dezembro (sábado), das 13 às 18 horas, no Clube Cruzeiro do Sul. Essa você não pode perder!

Dezembro é mês de inúmeras festas e confraternizações. Na família, no trabalho, com os amigos… é momento de avaliar o ano que está acabando e, com ânimo renovado, traçar novas metas para o que irá se iniciar.

Mas, para o filiado e para a filiada ao Sintsep-GO, dezembro é o mês de nossa tradicional Festa do Aposentado e Pensionista! Este ano, nossa festa será realizada no dia 17 de dezembro (sábado), das 13 às 18 horas, no Clube Cruzeiro do Sul (Rua 84-E, n. 165, Quadra F-15, Lote 15, St. Sul, Goiânia – GO).

Traga seu esposo e esposa e venha comemorar conosco o dom mais precioso que temos na vida: nossa amizade.

Um abraço e até lá!

Direção do Sintsep-GO

VEJA MAIS

vit ria para os anistiados



.

Sintsep-GO e Condsef conseguem evitar medida do governo que iria prejudicar milhares de servidores anistiados em todo o país

A direção do Sintsep-GO vem agradecer a seus filiados anistiados que depositaram em nós a confiança em resolver e reverter a posição do governo, que publicou a Portaria Normativa n. 5, cujo conteúdo, na verdade, era extremamente prejudicial aos servidores anistiados de 1994 a dezembro de 2002. O governo queria, na verdade, rever sua anistia no que se referia ao enquadramento no Regime Jurídico Único.

A direção do Sindicato, em conjunto com a Condsef, conseguiu politicamente, com argumentos jurídicos, reformular tal entendimento. Vitórias expressivas como esta – que iriam prejudicar inúmeros companheiros, caso não tivéssemos conseguido reverter o quadro – mostram apenas uma coisa: os trabalhadores têm apenas suas entidades sindicais para correr atrás e defender seus direitos, de forma intransigente.

Mesmo com este ganho, o Sintsep-GO continua correndo atrás de demandas referentes aos servidores anistiados, especialmente daqueles que retornaram após 2003. Portanto, companheiros e companheiras, a luta continua!

O Sintsep-GO não vai recuar enquanto não forem resolvidos TODOS os problemas dos anistiados e demitidos do governo Collor, que ainda não retornaram ao serviço público.

Rumo à vitória!
Sintsep-GO

VEJA MAIS

sexta dia de mais um ato nacional contra pec do fim do mundo

.

Proposta que está no Senado pode ser votada em primeiro turno já essa semana

Servidores voltam a unir forças na sexta-feira, 25 de novembro, com trabalhadores de diversas categorias em mais um dia nacional de mobilização contra a PEC 55/16, a PEC do Fim do Mundo, que propõe congelar investimentos públicos pelos próximos 20 anos. A PEC está no Senado e pode ser votada em primeiro turno já essa semana. A previsão aponta que a proposta pode ser votada em dois turnos até o dia 13 de dezembro. Além disso, a classe trabalhadora se une contra ataques a direitos e por avanços e contra retrocessos em políticas públicas e sociais. Hoje, o Senado promoveu uma sessão temática onde a PEC foi debatida.

Entre os debatedores convidados estavam os economistas Luiz Gonzaga Beluzzo, da Universidade de Campinas (Unicamp), e Fernando Rugitsky, da Universidade de São Paulo (USP). Ambos apresentaram críticas à PEC. Em sua intervenção, Rugitsky afirmou – apresentando dados e gráficos desde 1996 – que a crise fiscal é fruto da desaceleração econômica e de desonerações praticadas nos últimos anos, que causaram uma queda na arrecadação, e não a um suposto “descontrole” nos gastos públicos. Beluzzo defendeu que o país e o Senado estudem outras alternativas para superar esta crise econômica. O economista chegou a sugerir que o Brasil recorra ao Brics por meio da emissão de debentures condicionada a investimentos produtivos, lembrando que esta instituição está aberta a negociações.

Vários já são os especialistas que se posicionam contrários a essas medidas de austeridade propostas por uma emenda à Constituição que vai de encontro a direitos assegurados pela própria Constituição. Para a Condsef é um contrassenso imaginar que se vá resolver uma crise impondo à população um cenário de recessão e arrocho de pelo menos duas décadas. Sobre isso, Beluzzo acrescentou que este é um momento para que se tenha um “olhar humano” frente ao problema que vivemos. O economista disse não ver consistência na tese dos que defendem a PEC de que ocorrerá uma suposta retomada da confiança por parte dos empresários, após a aprovação da PEC, provocando a retomada dos investimentos.

Reação deve continuar
A classe trabalhadora não pode assistir a tantos ataques sem que reaja a altura. Mais do que nunca, em cenários assim de graves ataques a direitos, precisamos estar unidos e constantemente mobilizados. A agenda política imposta não tem deixado dúvida de que o ataque aos direitos da classe trabalhadora está na ordem do dia. Mas também não resta dúvida de que a luta em defesa desses direitos precisa e vai acontecer. Por isso, na sexta, 25, devemos participar dos atos e ações da classe trabalhadora convocada pelas centrais sindicais em todo o país. Um dia de paralisação de atividades dos setores público e privado contra a PEC 55/16 e outras ameaças como uma nova reforma da previdência e a imposição de uma flexibilização nas leis trabalhistas.

Também já está confirmado um ato no domingo, 27, na Avenida Paulista a partir das 15 horas, com as presenças dos ex-presidentes do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, e do Uruguai, Pepe Mujica, além de artistas, lideranças sindicais e de movimentos sociais em defesa da democracia, da justiça e contra os ataques a direitos sociais e trabalhistas. Todos às ruas em defesa de nossos direitos. Juntos somos fortes. Nenhum direito a menos. Nenhum passo atrás.

Sintsep-GO com Condsef

VEJA MAIS

sintsep go comunica recesso dos advogados da entidade

.

O Sintsep-GO comunica que, em virtude do recesso forense, não haverá atendimento dos advogados no Departamento Jurídico do Sintsep-GO de 16 de dezembro a 15 de janeiro. O atendimendo dos advogados será retomado normalmente no dia 16 de janeiro de 2017.

As atividades internas do Departamento Jurídico, bem como o atendimento administrativo, feito pelos diretores e funcionários do Sintsep-GO, não sofrerão interrupção.

Atenciosamente,

A Direção.

VEJA MAIS

governo recua em rela o mudan a de v nculo de parte dos anistiados

.

O Ministério do Planejamento publicou essa semana um comunicado (confira aqui) aos setores de gestão de pessoa em que assegura o enquadramento no Regime Jurídico Único (RJU) para anistiados pela Lei 8878/94 que retornaram ao serviço público a partir de 1994. Para esses servidores, o comunicado corta o efeito da Portaria Normativa Nº 5 que impõe a ida de anistiados para a CLT. Essa é uma importante batalha vencida. A luta segue para que o mesmo reconhecimento seja assegurado aos servidores anistiados que retornam ao serviço público de 2003 em diante. O Ministério da Saúde já divulgou memorando (veja aqui) adotando o comunicado do Planejamento.

Desde 2011, a Condsef, o Sintsep-GO e demais filiadas vêm buscando uma negociação junto ao governo para solucionar interpretação dada pelo TCU e que é considerada equivocada pelas entidades e suas assessorias jurídicas. O próprio Supremo Tribunal Federal (STF), sob-relatoria do ministro Edson Fachin, deferiu um pedido de liminar que suspendeu efeitos desse acórdão do TCU que, por sua vez, sustentou a publicação da Portaria Normativa Nº 5. Quando as negociações vinham avançando para um entendimento político houve a mudança de governo e em seguida a publicação da Portaria Nº 5.

A luta pela derrubada definitiva do entendimento contido nessa Portaria segue. A Condsef também segue buscando o atendimento de uma das grandes demandas de todos os servidores anistiados: a reinserção de toda a categoria na Lei 8.112/90, do Regime Jurídico Único (RJU). Além disso, os anistiados também defendem a criação de uma tabela única de remuneração e a extensão de gratificações dos servidores da Lei 8.112 aos reintegrados da Lei 8.878/94.

Parabéns, companheiros!

VEJA MAIS

vai l e arrasa guilherme



.

Sintsep-GO apoia jovem carateca que já coleciona boas participações em campeonatos pelo país

O jovem Guilherme Pereira dos Reis, de 12 anos, e sua mãe, Luzinete Pereira dos Reis, já estavam desanimados quando atravessaram a faixada do Sintsep-GO. Haviam acabado de sair do escritório político de um deputado eleito, mas não conseguiram nada do que pleiteavam.

“Nós tínhamos ido lá pedir um apoio, um patrocínio para o Guilherme participar de um campeonato de caratê, em São Paulo”, conta a mãe.

O garoto é aficionado por lutas, dentre elas o caratê, do qual é praticante desde os nove anos. “O Guilherme ficou um ano no jujitsu, mas não gostou. Depois coloquei ele no taekwondo e no caratê, ao mesmo tempo. Ele optou pelo caratê e não parou mais”, conta, satisfeita, a tocantinense que já vive em Goiânia há 19 anos.

A vida da família não é fácil. Tendo passado por um processo de separação no início deste ano, dona Luzinete cuida de Guilherme e da irmã, Gabriela Pereira dos Reis, de oito anos. “Eu era vendedora, deixava os meninos com uma babá. Pouco tempo depois descobri que ela estava maltratando eles; parei de trabalhar para ficar com os meninos”.

Luzinete não queria entrar no Sintsep-GO, mas o garoto insistiu. “Vamos tentar aqui mamãe”.

-Ah não Guilherme, esse lugar parece um hospital!

Mas a coragem do garoto falou mais alto que a descrença da mãe. Recebidos por Marta, recepcionista da entidade, perguntaram pelo “dono do local”.

“Aqui é um sindicato. Sindicato dos Servidores Públicos Federais. O presidente é o senhor Ademar. Vocês passaram do lado dele, na porta”, explicou Marta.

De volta à saída, Guilherme contou sua história ao presidente do Sintsep-GO, que se sensibilizou com a luta do garoto. “Vamos apresentar seu pedido à direção. Assim que tivermos alguma resposta, vamos entrar em contato com sua mãe, ok?”.

-Ok!

A confirmação do patrocínio, no valor de R$ 200,00 foi recebida como se fosse uma verdadeira fortuna pela mãe de Guilherme. “Foi o dinheiro que precisamos para completar a passagem para o campeonato, lá em São Paulo”.

O garoto, treinado pela sensei Aline Melo, não fez feio! Ficou em 5º lugar, em competição nacional de caratê, no estado de São Paulo, da qual participou nos dias 12, 13, 14 e 15 de outubro, com o apoio do Sintsep-GO.

Dois anos atrás, em 2014, o atual faixa verde foi campeão no Rio de Janeiro e, em Brasília, conquistou o primeiro lugar na 1° Copa Gerardo Coelho Karatê, no kata e no kumitê.

No próximo dia 26 de novembro, Guilherme – que já está praticamente de férias do Colégio Municipal Marília Carneiro Azevedo Dias, onde cursa o 7º ano – terá um novo desafio, promovido pela Federação de Karatê do Estado de Goias (Fekaego), em Trindade.

Vai lá e arrasa, Guilherme!

VEJA MAIS
  • 1
  • 2