curso de inicia o inform tica do sintsep go forma sua 5 turma



.

�Assim que me aposentei, achei que meu mundo tinha ca�do. Mas o sindicato me levantou�. Foi com esta frase que a aposentada Teodomira Neta Pinheiro, recebeu das m�os da professora de inform�tica, Carla Patr�cia, seu diploma de conclus�o do curso de inicia��o a inform�tica. O projeto, implantado em fevereiro de 2011, j� modificou a vida de 20 pessoas, entre ativos, aposentados, pensionistas e mesmo diretores do Sintsep-GO.

�A melhor coisa que eu fiz na minha vida foi vir para o sindicato. Eu n�o sabia nem ligar o computador. Hoje me sinto novamente ligado ao mundo, o oposto do meu sentimento de quando aposentei�, disse, com emo��o, o aposentado Paulo Rodrigues Barbosa.

�� muito bonito quando um projeto, um sonho, vira realidade. E essa realidade transforma para melhor a realidade de v�rios companheiros nossos�, relatou o ex-presidente do Sintsep-GO e atual tesoureiro, Ademar Rodrigues, em cuja gest�o o projeto foi implantado, com a inaugura��o do Centro de Forma��o M�rcia Jorge � cujo nome foi colocado em homenagem � idealizadora do projeto e ent�o diretora de Forma��o Sindical, M�rcia Jorge, atual diretora de Apoio ao Pessoal do Interior.

Segundo o atual presidente da entidade, Vicente Ribeiro, os planos para o Centro de Forma��o s�o ainda maiores. �Queremos novos cursos e novas programa��es. Queremos que este seja um local de cont�nuo aprendizado, conviv�ncia e celebra��o da vida para nossos companheiros aposentados e pensionistas�, relata.

Com capacidade para duas turmas semanais, com cinco alunos em cada, o curso de inicia��o em inform�tica do Sintsep-GO tem carga hor�ria de 40 horas, divididas em Microsoft Windows, Microsoft Word e Microsoft Internet Explorer. �O aluno sai daqui sabendo o b�sico. Alguns aprendem mais, outros menos, mas a maioria se sente feliz por conseguir abrir um arquivo, navegar e ler not�cias na internet, redigir um documento. � um avan�o enorme, a maioria n�o sabia sequer ligar o computador�, analisa a instrutora, que se sente gratificada com a oportunidade de contribuir � ao lado do Sintsep-GO � neste trabalho.

CONFIRA AQUI AS FOTOS DA ENTREGA DOS DIPLOMAS.

VEJA MAIS

impasse com servidores do dnit permanece

.

A Condsef e uma comiss�o de servidores do Dnit estiveram na manh� desta segunda-feira reunidos com representante da Secretaria de Rela��es do Trabalho (SRT) do Minist�rio do Planejamento numa tentativa de destravar os impasses nas negocia��es que mant�m a categoria em greve em todo o Brasil. No entanto, evocando o momento econ�mico e pol�tico pelo qual o Brasil passa, a SRT pediu sensibilidade aos servidores e disse que n�o est� autorizada a avan�ar na apresenta��o de uma proposta que dialogue com as demandas mais urgentes da categoria. Ontem (22), o Planejamento anunciou um novo corte no or�amento da ordem de R$ 10 bilh�es. S� neste 1� semestre R$ 38 bi j� foram alvo de contingenciamento e deixam de ser investidos em melhorias importantes apontadas pelo setor p�blico para melhorar o atendimento � popula��o. Sem os avan�os esperados, a Condsef e a comiss�o dos servidores informaram que n�o estavam autorizados a discutir uma proposta j� rejeitada anteriormente pela categoria.

Os servidores do Dnit acrescentaram que a categoria n�o tem como meta receber tratamento diferenciado por parte do governo. O que os servidores esperam � o mesmo reconhecimento dado a setores com fun��es, atribui��es e miss�es institucionais semelhantes as confiadas ao Dnit. Nesse sentindo, a categoria acredita que o que o governo prop�e est� distante das necessidades apresentadas pelo �rg�o e os servidores devem, portanto, continuar trabalhando em busca do atendimento de suas reivindica��es mais urgentes.

A respeito de uma proposta que o Dnit teria apresentado de forma extraoficial � categoria, o Planejamento informou que apenas a SRT tem atribui��es de apresentar oficialmente qualquer proposta. Portanto, tudo que fugir do crivo da SRT n�o deve ser considerado pela categoria como determina��o do governo. Sem os avan�os esperados e sem propostas oficiais que dialoguem com suas demandas, os servidores do Dnit devem manter a greve que continua firme em todo o Brasil. Atendendo uma determina��o judicial, a categoria segue mantendo a execu��o de 50% dos servi�os essenciais e trabalha em esquema de rod�zio.

Dia Nacional de Lutas
Para refor�ar a mobiliza��o em torno de sua pauta de reivindica��es, os servidores do Dnit realizam nesta ter�a-feira, dia 23, um Dia Nacional de Lutas em todo o Brasil. Em Bras�lia, haver� passeata a partir das 9 horas que sair� da frente da sede do Dnit na capital federal. Os servidores seguir�o em marcha at� o Minist�rio dos Transportes onde v�o cobrar uma posi��o do ministro C�sar Augusto Borges sobre as necessidades apresentadas pelos servidores do Dnit. N�o est� descartada tamb�m uma atividade de mobiliza��o e press�o junto � Casa Civil.

Fonte: Condsef

VEJA MAIS

servidores do dnit seguem em greve em todo o brasil



.

Servidores do Dnit continuam em greve em todo o Brasil. A categoria segue lutando para que o governo apresente proposta para o setor que possa destravar os impasses instalados que t�m impedido avan�os nos processos de negocia��o. Of�cio encaminhado pela Condsef ao diretor geral do Dnit, Jorge Ernesto Fraxe, informa que a categoria est� cumprimento medida cautelar e vem realizando os trabalhos no departamento em sistema de rod�zio. Nesta manh�, a Condsef participa de reuni�o na Secretaria de Rela��es do Trabalho (SRT) do Minist�rio do Planejamento sobre a situa��o do �rg�o. Dessa reuni�o participam representantes da comiss�o de negocia��o dos servidores do Dnit e da dire��o da Condsef que v�o cobrar respostas � pauta da categoria.

H� boatos circulando de que j� existe uma proposta para o setor. Mas formalmente a Condsef ainda n�o recebeu nenhuma minuta por parte do governo. Como nada foi oficializado, a Confedera��o recomenda que todos aguardem. A expectativa � de que se uma proposta existe ela seja apresentada � categoria na reuni�o desta segunda. Uma informa��o oficial dada pelo diretor geral do Dnit � de que a folha de ponto dos servidores foi fechada com orienta��o para que fosse inclu�do c�digo de greve na ficha dos participantes do movimento paredista. Sobre isso a Condsef considera o procedimento natural uma vez que o c�digo de greve sempre � tema de negocia��o quando se d� o fim de um impasse instalado.

Fonte: Condsef

VEJA MAIS

governo quer transformar dnpm em ag ncia

.

A Condsef participou nesta quinta-feira, dia 18, de reuni�o na Secretaria de Rela��es do Trabalho (SRT) do Minist�rio do Planejamento, que teve como pauta demandas dos servidores do DNPM (Departamento Nacional de Produ��o Mineral). Participaram tamb�m do encontro representantes do Sinag�ncias. Frente �s inten��es em transformar o DNMP na Ag�ncia Nacional de Minera��o (ANM) � um projeto de lei (PL 5807/13) com essa proposta tramita em regime de urg�ncia no Congresso Nacional � os servidores esperam que o governo promova uma adequa��o na carreira do DNPM de modo que as categorias recebam tratamento ison�mico. Foi proposta a realiza��o de uma nova reuni�o no dia 31 deste m�s, antes que ocorra a vota��o do PL que cria a ANM. Caso o projeto permane�a com vota��o em regime de urg�ncia ele ter� que ser votado at� o dia 5 de agosto ou trancar� a pauta de vota��es no Congresso.

A expectativa � de que o governo atenda as demandas dos servidores do DNPM. Para a categoria este � um momento importante para assegurar que conflitos trabalhistas n�o sejam criados, trazendo injusti�as que podem perdurar por muito tempo prejudicando muitos servidores. O que os servidores do DNPM cobram � aten��o a essas demandas para que n�o se permitam diferen�as entre os atuais servidores que ser�o redistribu�dos � ANM e os que ingressar�o em futuros concursos p�blicos. Problemas que ocorreram em outros momentos na administra��o p�blica e que podem e devem ser evitados.

Condsef e Sintsep-GO v�o continuar buscando o atendimento do pleito dos servidores do DNPM e espera que o governo ou�a a categoria no intuito de evitar problemas futuros.

Fonte: Condsef

VEJA MAIS

condsef cobra demandas dos servidores da sa de ind gena

.

A Condsef participou de mais uma reuni�o do grupo de trabalho (GT) que debate quest�es ligadas � Sa�de Ind�gena. O encontro aconteceu nesta ter�a-feira, dia 16, em Bras�lia. Na oportunidade a Condsef cobrou dos representantes do governo retorno sobre a implanta��o de uma gratifica��o espec�fica da Sa�de Ind�gena, pleito que j� vem sendo debatido h� pelo menos tr�s anos. A Secretaria de Recursos Humanos da Sa�de disse que deve entrar em contato com a Secretaria de Rela��es do Trabalho (SRT) do Minist�rio do Planejamento para agendar uma reuni�o espec�fica sobre a gratifica��o. Uma primeira reuni�o deve contar apenas com representantes do governo e, em seguida, outro encontro deve ser agendado com a participa��o dos representantes dos trabalhadores. A Condsef insistiu para que datas desses encontros fossem confirmadas na tentativa de avan�ar nos processos de negocia��o em torno da implanta��o da gratifica��o de Sa�de Ind�gena, mas as reuni�es seguem sem data definida.

Outra cobran�a feita durante a reuni�o do GT diz respeito a den�ncias de ass�dio moral e nepotismo que foram apresentadas contra chefe do Distrito Sanit�rio Ind�gena do estado de Tocantins. A Condsef cobrou tamb�m informa��es a respeito de provid�ncias que foram solicitadas para assegurar melhores condi��es de trabalho aos servidores que atuam na Sa�de Ind�gena no estado de Goi�s. Os representantes do governo no GT se comprometeram a buscar informa��es e o andamento das den�ncias; se comprometeram tamb�m a verificar agenda para as pr�ximas reuni�es do GT que devem continuar debatendo a situa��o da Sa�de Ind�gena.

O encontro n�o trouxe qualquer avan�o nos debates que est�o colocados. “Mais do que nunca � importante que a categoria siga atenta e reforce a mobiliza��o em torno de suas principais reivindica��es com objetivo de pressionar o governo a avan�ar em busca do atendimento de suas demandas mais urgentes”, afirma a nota da Condsef.

Fonte: Condsef

VEJA MAIS

gt s da sa de discutem jornada situa o de cedidos e redistribu dos

.

A Condsef participou de reuni�o de grupos de trabalho (GT�s) da mesa de negocia��o da Sa�de que debatem jornada de trabalho e quest�es ligadas a servidores redistribu�dos e cedidos a estados e munic�pios. Dois encontros aconteceram nesta ter�a-feira e contaram tamb�m com a participa��o de representantes do Minist�rio da Sa�de (MS). No primeiro GT o debate se concentrou em jornada de trabalho. Foi destacada a necessidade da amplia��o da discuss�o sobre a implanta��o de 30 horas semanais para trabalhadores do MS e da Funasa sem redu��o de sal�rio. Mesmo com a avalia��o de que boa parte dos servidores cedidos ao SUS trabalha por 30 horas semanais devido a legisla��es estaduais e municipais que j� garantem essa jornada, representantes do MS disseram que o governo s� deve considerar a concretiza��o do pleito com redu��o salarial.

Frente ao impasse, os integrantes do GT concordaram com a elabora��o de um diagn�stico da situa��o da jornada de trabalho em todos os minist�rios, estados e munic�pios. O objetivo � promover o levantamento de especificidades, principalmente, dos profissionais da �rea da sa�de. Outro tema que deve ser abordado no que se refere aos estudos sobre jornada de trabalho est� ligado ao ac�mulo de cargos que sofre impedimentos devido ao problema de jornada daqueles trabalhadores com v�nculo Federal. Os resultados desses estudos devem ser apresentados na pr�xima reuni�o deste GT que ficou agendada para o dia 12 de agosto.

Cedidos e redistribu�dos
O outro GT segue debatendo quest�es ligadas a servidores cedidos e redistribu�dos da �rea da sa�de. O debate sobre a redistribui��o dos servidores da Funasa que trabalham na aten��o b�sica e na vigil�ncia epidemiol�gica e recebem a Gecen ganhou destaque. Esses servidores s�o essencialmente trabalhadores celetistas que atuam no estado do Rio de Janeiro e est�o lotados em unidades de sa�de e hospitais e buscam retorno ao MS. Um parecer jur�dico deve ser feito sobre a situa��o desses servidores uma vez que existem dificuldades legais para que o processo de redistribui��o seja conclu�do.

Outros servidores na mesma situa��o tamb�m sofrem com a falta de uma legisla��o que aborde a seguran�a funcional, a manuten��o de direitos e garanta que aqueles que passarem pelo processo n�o sofram ass�dio ou devolu��o aos locais onde se encontram, entre outras quest�es pr�ticas. Uma reuni�o emergencial entre Funasa e MS deve acontecer para aprofundar o debate sobre a situa��o dos cedidos e redistribu�dos. Uma das propostas levantadas pelo Minist�rio da Sa�de � a altera��o em Portaria que trata a situa��o dos servidores cedidos. O MS se comprometeu a enviar �s entidades que representam a categoria as propostas j� discutidas pelo governo para que contribui��es dos trabalhadores possam ser dadas ao debate.

A Condsef aproveitou a oportunidade para cobrar o andamento sobre a altera��o de Portaria que trata da Gacen e Gecen. O MS deve cobrar retorno da Secretaria de Vigil�ncia em Sa�de que ficou respons�vel por emitir parecer t�cnico sobre a quest�o. O MS informou ainda que encaminhou protocolo ao Planejamento solicitando altera��o na legisla��o que rege a quest�o da avalia��o de desempenho de servidores cedidos. O objetivo � assegurar que esses servidores recebam 20 pontos individuais e 80 pontos institucionais fixos uma vez que h� dificuldades de serem avaliados por seus gestores sendo que est�o cedidos, al�m de outras quest�es que tornam complexa uma avalia��o de desempenho. Gestores do MS se coprometeram a tamb�m verificar como andam esses debates no Planejamento. Outra reuni�o do GT que trata as quest�es dos servidores cedidos e redistribu�dos est� agendada tamb�m para o dia 12 de agosto.

Fonte: Condsef

VEJA MAIS

condsef volta a cobrar retorno sobre demandas pendentes dos setores de sua base

.

A Condsef segue insistindo com a Secretaria de Rela��es do Trabalho (SRT) do Minist�rio do Planejamento para confirmar um calend�rio de reuni�es onde o governo se posicione a respeito das diversas demandas pendentes e reivindica��es dos setores de sua base. Como solicitado pela SRT, a Condsef reapresentou todas as demandas dos seus setores, ainda que em muitos casos o processo de negocia��es seja de conhecimento do governo e venha sendo conduzido nos �ltimos anos, mas sem avan�os significativos. O principal argumento da SRT para o reenvio das propostas era o fato de que uma nova equipe de gestores comp�e a mesa de negocia��es do governo. A Condsef atendeu a demanda colocada e acredita que j� houve tempo h�bil para que o governo tenha analisado novamente o que foi reenviado.

Dessa forma, a Confedera��o espera que nas pr�ximas reuni�es o governo apresente respostas �s pautas existentes. Muitas demandas est�o, inclusive, asseguradas em acordos firmados em agosto do ano passado. Itens contidos no Termo de Acordo 11 asseguram, entre outras coisas, reestrutura��o e moderniza��o de diversas carreiras do Executivo, incluindo PGPE e CPST que re�nem o maior n�mero de servidores p�blicos, em torno de 550 mil, entre ativos, aposentados e pensionistas.

Uma das principais demandas, aprovada pelos setores da base da Condsef em plen�ria, � a busca pela equipara��o das tabelas salariais do Executivo com a tabela criada pela Lei 12.277/10. Racionaliza��o de cargos, regulamenta��o e cria��o de gratifica��o de qualifica��o para carreiras que ainda n�o possuem, al�m da incorpora��o na aposentadoria do valor da m�dia de gratifica��o recebida nos �ltimos cinco anos, tamb�m est�o entre os pontos de destaque da pauta de reivindica��es da maioria dos servidores da base da Condsef.

Condsef e Sintsep-GO v�o continuar se mobilizando, sem abrir m�o de colocar na ordem do dia o que foi conquistado com as mobiliza��es do ano passado. � preciso mobilizar a categoria para que o governo n�o consiga impor a sistem�tica que quer dar ao processo de negocia��o. Todo o poss�vel deve ser feito para que os processos de negocia��o frutifiquem em projetos concretos que possam ser aprovados no Congresso Nacional sem a necessidade da corrida por emendas. Corrida que acontece muitas vezes por este procedimento que se tornou habitual no governo de ganhar tempo – seja cancelando reuni�es ou recuando em processos de negocia��o j� avan�ados. Para driblar essas v�rias armadilhas e obst�culos impostos aos servidores, unidade e mobiliza��o continuam sendo os maiores aliados.

Fonte: Condsef

VEJA MAIS

discutidos dezenove pontos de pauta dos administrativos do mte

.

A Condsef, acompanhada de representantes de seu Departamento de Servidores do Minist�rio do Trabalho e Emprego (Demitre) e da CUT (Central �nica dos Trabalhadores), se reuniu com o coordenador-geral de Recurtos Humanos, Luiz Eduardo Lemos e representante da coordena��o de Legisla��o de Pessoal do MTE, Silene Sampaio, para tratar uma s�rie de itens que fazem parte da pauta dos servidores administrativos do minist�rio. Foram dois dias de encontro onde os representantes da categoria expuseram dezenove pontos tratados como priorit�rios pela categoria. (Confira aqui detalhes do que foi discutido).

Na reuni�o foi apresentada pelos servidores uma peti��o conseguida no Superior Tribunal de Justi�a (STJ) que garante suspens�o imediata do corte do ponto pela n�o reposi��o das horas da greve. O documento ser� encaminhado pelo MTE para parecer do Conselho Superior de Assuntos Jur�dicos e Legislativos (Conjur).

Para a Condsef e os representantes do Demitre, essas reuni�es foram importantes e apontam para avan�os na din�mica de tratamento do MTE com seus servidores. A expectativa � de que toda a pauta continue sendo acompanhada e solu��es sejam encontradas para os problemas que foram levantados. Os representantes do MTE se comprometeram a dar retorno a tudo que foi apresentado at� o dia 16 de agosto. Uma nova reuni�o tamb�m pode ser realizada no dia 19 do mesmo m�s.

A Condsef tamb�m vai consultar representantes da categoria para definir data para um novo encontro nacional dos administrativos do MTE. O encontro ser� importante para debater os avan�os conquistados junto ao governo e as a��es necess�rias para buscar o atendimento das demandas mais urgentes da categoria.

Fonte: Condsef

VEJA MAIS

dia nacional de luta mobiliza trabalhadores goianos



.

Sintsep-GO participa de ato conjunto das centrais sindicais e cobra dos governos federal e estadual aten��o para os direitos dos trabalhadores e trabalhadoras

O Sintsep-GO foi para as ruas nesta quinta-feira, dia 11, no Dia Nacional de Luta, protesto organizado pela Central �nica dos Trabalhadores (CUT) e demais centrais sindicais para exigir do governo e do Congresso Nacional a aprova��o de diversas reivindica��es trabalhistas. O movimento contou com forte presen�a dos trabalhadores rurais ligados ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), Federa��o dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de Goi�s (Fetaeg) e Federa��o dos Trabalhadores na Agricultura Familiar (Fetraf). Confira aqui as fotos da participa��o do Sintsep-GO na atividade.

A concentra��o, com mais de 2 mil pessoas, ocorreu na Pra�a do Bandeirante, para onde acorreram n�o s� trabalhadores da base cutista, como tamb�m da CTB, For�a Sindical, Nova Central, UGT e CSP-Conlutas. “Lutamos por um Brasil melhor, com desenvolvimento, valoriza��o do trabalho, distribui��o de renda e justi�a social”, resumiu a presidente cutista,Bia de Lima.

A classe trabalhadora foi para as ruas para exigir reforma agr�ria – o governo Dilma Rousseff pouco ou nada avan�ou nessa quest�o -; o fim do Fator Previdenci�rio; jornada de trabalho de 40 horas semanais sem redu��o salarial; reajuste digno para os aposentados; mais investimentos em sa�de, educa��o e seguran�a; transporte p�blico de qualidade; fim do Projeto de Lei (PL) 4330, que amplia a terceiriza��o; e fim dos leil�es de petr�leo.

Entre outras bandeiras espec�ficas do setor p�blico, os trabalhadores reivindicaram tamb�m a defesa irrestrita dos servi�os p�blicos gratuitos e de qualidade para toda a popula��o; reajuste salarial digno e valoriza��o do servidor p�blico; paridade entre ativos e aposentados; anula��o da reforma da previd�ncia de 2003; fim da privatiza��o dos hospitais universit�rios e da previd�ncia do servidor; anula��o do projeto de lei que cria as funda��es estatais de direito privado no setor p�blico (PLP 92/07).

Em Goi�s, al�m da passeata pelo Centro da cidade, os trabalhadores e trabalhadoras interromperam o tr�nsito am algumas rodoviais federais, tanto em Goi�nia quanto em cidades do interior e importantes unidades hospitalares da capital, como o Hospital das Cl�nicas da Universidade Federal de Goi�s (HC/UFG) e o Hospital Materno Infantil (HMI) tamb�m tiveram suas atividades paralisadas neste Dia Nacional de Luta.

Fonte: Sintsep-GO com CUT-GO

VEJA MAIS

prioridades do governo divergem dos interesses da maioria da popula o

.

An�ncio de novos cortes no or�amento e preocupa��o com super�vit prim�rio mostram desencontro entre prioridades do governo e da popula��o

O governo, por meio do Minist�rio da Fazenda, anunciou essa semana que deve cortar outros R$ 13 bilh�es do or�amento deste ano, o que atingir� em grande parte o setor p�blico. Nos �ltimos anos j� foram concedidas desonera��es ao empresariado que retiraram mais de R$ 200 bi, que poderiam ser investidos nas �reas sociais. Adotando uma pol�tica econ�mica que prioriza o empresariado enquanto pune a maioria da popula��o, o governo da presidenta Dilma Rousseff d� sinais de que suas a��es pr�ticas continuam em desencontro com as prioridades da popula��o, exposta nas ruas em manifesta��es que concentraram milh�es de brasileiros. Dizendo claramente esperar mais investimentos em sa�de, educa��o, transportes, seguran�a e outros servi�os p�blicos essenciais que devem ser garantidos pelo Estado, a voz das ruas j� apontou os caminhos que quer ver priorizados no uso do dinheiro p�blico. Para combater as pol�ticas equivocadas do governo, refor�ar e dar eco ao que quer a popula��o, a Condsef se une a todas as centrais e entidades dos mais diversos segmentos da classe trabalhadora nas atividades que acontecem pelo Brasil nesta quinta, dia 11.

� preciso que o governo aceite que a l�gica que rege o mercado empresarial n�o pode ser trazida para o �mbito do Estado. A Condsef volta a refor�ar que antes do lucro, o governo deve visar o cumprimento do que prev� a Constitui��o. Todo cidad�o tem direito a educa��o, a sa�de, alimenta��o, trabalho, moradia, lazer, seguran�a, previd�ncia social, prote��o � maternidade e � inf�ncia e assist�ncia aos desamparados. Cabe ao Estado zelar por esses direitos e garantir que todos tenham acesso a eles. Mas na contram�o do que se espera e deve se exigir, as a��es do governo continuam sinalizando que o problema para n�o melhorar o atendimento p�blico, garantindo � popula��o servi�os de qualidade, n�o � de ordem econ�mica. H� uma pol�tica em curso que n�o est� em sintonia com o projeto de governo apresentado para a popula��o e que saiu vitorioso no �ltimo pleito eleitoral.

Press�o popular para o Brasil mudar
Adotar o super�vit prim�rio como prioridade, desonerar o empresariado e sacrificar a maioria da popula��o tornam imposs�vel a qualquer pa�s a tarefa de mudar seus rumos. A��es como a retirada sistem�tica de bilh�es das �reas sociais para beneficiar camadas j� privilegiadas da sociedade precisam e devem ser freadas. Por mais dif�ceis que essas batalhas possam parecer, a hist�ria dos trabalhadores mostra que somente com muita luta, mobiliza��o e press�o popular � poss�vel conseguir avan�os e transforma��es importantes para a sociedade. A Condsef continua acreditando nessa luta e apostando que com unidade � poss�vel conquistar dias melhores para todos os trabalhadores.

Fonte: Condsef

VEJA MAIS
  • 1
  • 2