confira os termos de acordo j assinados com os setores do executivo federal

.

V�rios setores da base da Condsef j� assinaram com o governo seus respectivos acordos. Confira abaixo os termos, juntamente com as respectivas tabelas:

:: Termo de Acordo n.� 25 Assinado com a SRT/MPOG – (ABIN).
:: Termo de Acordo N.� 22 Assinado com a SRT/MPOG – (Inst. Evandro Chagas e Centro Nac. de Primatas).
:: Termo de Acordo N.� 21 Assinado com a SRT/MPOG – (Especialista Meio Ambiente).
:: Termo de Acordo N.� 16 Assinado com a SRT/MPOG – (PCCTM).
:: Termo de Acordo N.� 15 Assinado com a SRT/MPOG – (FNDE e INEP).
:: Termo de Acordo N.� 11 Assinado com a SRT/MPOG – (PST e PGPE).
:: Termo de Acordo N.� 09 Assinado com a SRT/MPOG – (C&T).
:: Termo de Acordo N.� 08 Assinado com a SRT/MPOG – (INPI).
:: Termo de Acordo N.� 07 Assinado com a SRT/MPOG – (INMETRO).

Fonte: Condsef

VEJA MAIS

servidores de 18 categorias aprovam proposta do governo

.

A base dos servidores do Sintsep/GO, em plen�ria ocorrida nesta segunda-feira, dia 27, na Assembleia Legislativa, decidiu por ampla maioria a aceita��o do acordo com o governo, posi��o que foi levada pelos delegados/as � plen�ria da Condsef

Nesta ter�a-feira, dia em que completa 22 anos, a Condsef promoveu uma plen�ria nacional com representantes de pelo menos 18 categorias de sua base de todo o Brasil. Por ampla maioria, os servidores aprovaram proposta apresentada pelo governo que concede reajuste (R$1.000-NS; R$930-NI; R$630-NA) inseridos na gratifica��o de desempenho – escalanados em tr�s anos (confira tabelas). A proposta atinge pelo menos 510 mil servidores, entre ativos, aposentados e pensionistas. Nesse cen�rio est�o compreendidas categorias que representam a maioria dos servidores do Executivo e fazem parte do PGPE (Plano Geral de Cargos do Poder Executivo) � que possuem servidores lotados em todos os minist�rios e autarquias, CPST (Carreira da Previd�ncia, Sa�de e Trabalho) � que engloba tamb�m servidores da Funasa � al�m das carreiras correlatas. Carreiras correlatas compreendem categorias que possuem tabelas similares ou bem pr�ximas � realidade salarial do PGPE e CPST � que possuem as menores tabelas do Executivo. Entre elas podemos citar Cultura, Fazenda (PECFAZ), Imprensa Nacional, SPU, HFA, Embratur, AGU/DPU, administrativos da PRF, Integra��o Nacional, Funai (categorias n�o citadas devem observar se est�o inseridas no PGPE ou CPST e, portanto, est�o contempladas pelo acordo). O acordo para esses setores deve ser assinado at� sexta e a volta ao trabalho dessas categorias acontece a partir de segunda, 3 de setembro.

Ao aceitar a proposta do governo, a Condsef aproveitou a oportunidade para cobrar ainda a devolu��o integral e imediata dos pontos cortados. Est� neste grupo a maioria dos servidores atingidos pela determina��o da presidenta Dilma, que chegou a cortar 100% do sal�rio de alguns trabalhadores. Paralelo a este debate no Planejamento, a assessoria jur�dica da Condsef teve tamb�m hoje uma audi�ncia com o ministro Marco Aur�lio, relator no STF (Supremo Tribunal Federal) de a��o protocalada pela Condsef e outras entidades sindicais que pede a suspens�o imediata do corte de ponto que prejudica milhaServidores do Minist�rio da Sa�de, que est�o entre os que tiveram 100% do ponto cortado pela presidenta Dilma, fazem protesto simb�lico solicitando apoio para um fundo de caixa para quem est� at� agora sem confirma��o do sal�rio do m�s.

Incra diz n�o
Al�m desses setores que aceitaram a proposta e representam a maioria dos servidores que mant�m uma greve geral em todo o Brasil, outros setores da base da Condsef j� autorizaram a assinatura de acordo com o governo. Entre eles est�o servidores da Area Ambienta (Ibama, Instituto Chico Mendes e Minist�rio do Meio Ambiente) e servidores do INPI. A Condsef ainda aguarda resposta sobre aceita��o de proposta de outros setores de sua base como Ag�ncias Reguladores, Tecnologia Militar, Inep/FNDE e Instituto Evandro Chagas. At� agora, a �nica categoria da base da Condsef que oficialmente disse n�o � proposta do governo e mant�m tratativas no Planejamento � a dos servidores do Incra. A entidade continuar� dando todo suporte � luta dos companheiros. Essa semana � o prazo limite para reportar respostas dos trabalhadores ao governo.

Garantias para assinar acordo
Os servidores que aprovaram as propostas do governo aceitaram a formaliza��o de acordos que garantam a continuidade das negocia��es que buscam a equipara��o salarial com a tabela criada pela Lei 12.277/10. A lei abrange cinco cargos de n�vel superior do Executivo (Engenheiro, Estat�stico, Arquiteto, Economista e Bi�logo). A Condsef tamb�m busca a consolida��o de um reajuste nos benef�cios pagos aos servidores do Executivo, como aux�lio-alimenta��o e plano de sa�de. Apenas no caso espec�fico dos benef�cios n�o se aplica a obrigatoriedade legal de envio de projetos de lei ao Congresso Nacional � com previs�o or�ament�ria para 2013 – at� 31 de agosto. Por isso, a concess�o de reajustes em benef�cios pode ser dada a qualquer tempo. A Condsef espera que ainda este ano haja aplica��o de algum percentual na melhoria desses valores, bastante defassados para os servidores do Executivo. Sobre o dia 31 de agosto como limite para envio de projetos ao Congresso, � inten��o da Condsef buscar altera��o desta data que acaba prejudicando o alcance de consensos nas mesas de negocia��o em curso. Para isso, a Condsef est� buscando uma audi�ncia com o presidente da C�mara dos Deputados, deputado Marco Maia.

Apesar da volta ao trabalho da maioria dos servidores da base da Condsef, a mobiliza��o da categoria vai continuar permanente. J� no dia 5 de setembro, pr�xima quarta-feira, a Condsef e suas filiadas participam de um Dia Nacional de Lutas em defesa dos trabalhadores convocado pela Central �nica dos Trabalhadores (CUT). A luta pelo atendimento das reivindica��es que o governo ainda n�o conseguiu atender permanece firme.

Fonte: Condsef

VEJA MAIS

governo adia reuni o com setores para s bado dia 25

.

Sintsep/GO espera que proposta seja apresentada para ser debatida pela base, em plen�ria sindical da entidade, nesta segunda-feira, dia 27, �s 8h30, na Assembleia Legislativa de Goi�s

Segundo informa��es da Condsef, o Minist�rio do Planejamento, Or�amento e Gest�o confirmou um novo calend�rio de reuni�es. A reuni�o que trata da Lei 12.277/10 – que reflete diretamente em 18 setores do Executivo – ficou para s�bado, dia 25, �s 13 horas. A Condsef disse que o governo precisa apresentar aquilo que tem para que a categoria possa analisar. A Confedera��o, inclusive, enviou of�cio ao secret�rio de Rela��es do Trabalho, S�rgio Mendon�a, externando a insatisfa��o da entidade e do Comando Nacional de Greve com o tratamento que o governo tem dado a este grande grupo de trabalhadores no processo de negocia��o.

Entre os principais pontos que est�o sendo defendidos pelos servidores, no exaustivo processo de negocia��o, est�o: a prioriza��o do Vencimento B�sico (VB) em detrimento das gratifica��es; o reajuste em benef�cios como aux�lio alimenta��o e plano de sa�de e a garantia da continuidade do debate sobre a equaliza��o das tabelas salariais, tendo como par�metro a Lei 12.277/10.

O presidente do Sintsep/GO, Ademar Rodrigues, deve participar da reuni�o, cujo resultado dever� ser apresentado em plen�ria do Sintsep/GO, nesta segunda-feira, 27, �s 8h30, na Assembleia Legislativa de Goi�s. A decis�o da base goiana ser� levada pelo sindicato � plen�ria nacional da Condsef, que ocorre na ter�a, dia 28, data que, inclusive, coincide com o anivers�rio de 23 anos da Confedera��o.

Corte de ponto
Ontem (23) o ministro Marco Aur�lio foi confirmado como relator da a��o protocolada pela Condsef no Supremo Tribunal Federal (STF) que pede a suspens�o imediata do corte de ponto promovido pelo governo no contracheque de pelo menos 12 mil trabalhadores. Desse universo, grande parte teve a pr�via de seus contracheques zerada. A assessoria jur�dica da Condsef j� solicitou uma audi�ncia com o ministro Marco Aur�lio. O objetivo � expor as raz�es que levaram a Confedera��o, juntamente com outras entidades que representam trabalhadores do setor p�blico, a solicitar a suspens�o urgente dessa medida. Um dos pontos levantados na a��o � que o governo fere a autoridade de decis�es do pr�prio STF que assegura o direito de greve no �mbito do servi�o p�blico.

Al�m da a��o que busca suspender o corte de ponto, est� no STF para an�lise a solicita��o de derrubada do Decreto 7.777/12 que autoriza a substitui��o de servidores grevistas. O tema j� foi defendido pela assessoria jur�dica da Condsef e outras entidades representativas dos servidores e tem como relator o ministro Dias Toffolli.

Categoria permanece firme
A quase uma semana do prazo final para o envio de propostas com previs�o or�ament�ria para 2013, a ansiedade aumenta entre os servidores. Apesar dos v�rios obst�culos impostos aos servidores nesse processo e das dificuldades que continuam surgindo, a Condsef e o Comando Nacional de Greve – juntamente com o Sintsep/GO, em n�vel local – refor�am a import�ncia de que a mobiliza��o continue intensa nessa reta decisiva do processo de negocia��es. Todos os esfor�os seguem sendo feitos para que al�m de uma proposta capaz de atender as demandas mais urgentes dos servidores, o governo assegure o pagamento integral dos sal�rios descontados dos grevistas para que a negocia��o sobre dias parados aconte�a ap�s o desfecho das negocia��es.

Fonte: Sintsep-GO com informa��es da Condsef

VEJA MAIS

vig lia para reuni o que trata da lei 12 277 10 promete ser longa

.

A reta final do processo de negocia��es com o governo tem trazido grande expectativa aos servidores de mais de 30 setores que permanecem em greve em todo o Brasil. Somente ontem (22), a agenda de reuni�es no Minist�rio do Planejamento com entidades de servidores p�blicos ultrapassou os dez encontros. Em todos, o governo continua apresentando para todas as categorias o mesmo molde de proposta que prev� 15,8% de reajuste em tr�s anos, inclusive para aqueles relacionados � Lei 12.277/10, que interessa a pelo menos 18 categorias que juntas somam mais de 500 mil servidores entre ativos, aposentados e pensionistas. A Condsef est� de plant�o no Planejamento e busca assegurar propostas aos servidores que possam ser analisadas pelo CDE na segunda (27) e em plen�ria nacional da entidade agendada para ter�a-feira, dia 28.

Com rela��o ao corte de pontos, a Condsef enviou ao STF (Supremo Tribunal Federal) pedido urgente de suspens�o da medida do governo (confira aqui a nota da assessoria jur�dica da Confedera��o). De acordo com o assessor jur�dico do Sintsep/GO, Marcos Aur�lio, est�o embutidas nas negocia��es a suspens�o do corte de pontos. “Ao final do processo, as entidades v�o sentar com o governo para buscar uma forma de compensar os dias parados”, explicou.

H� casos em que 100% do sal�rio dos servidores foi descontado. O pedido encontra amparo na Constitui��o Federal que confere ao STF compet�ncia para processar e julgar a reclama��o que est� protocolada sob o n�mero 14.397. O relator ainda n�o foi determinado. Al�m da a��o que busca suspender o corte de ponto, est� no STF para an�lise a solicita��o de derrubada do Decreto 7.777/12 que autoriza a substitui��o de servidores grevistas. O tema j� foi defendido pela assessoria jur�dica da Condsef e outras entidades representativas dos servidores e tem como relator o ministro Dias Toffolli.

A oito dias do prazo final para o envio de propostas com previs�o or�ament�ria para 2013, a ansiedade aumenta entre os servidores. Na mesma medida, Condsef e Comando Nacional de Greve refor�am a import�ncia de que a mobiliza��o continue intensa nessa reta decisiva do processo de negocia��es. Todos os esfor�os seguem sendo feitos para que al�m de uma proposta capaz de atender as demandas mais urgentes dos servidores, o governo assegure o pagamento integral dos sal�rios descontados dos grevistas para que a negocia��o sobre dias parados aconte�a ap�s o desfecho das negocia��es.

Al�m de seguir buscando proposta alternativa para os setores de sua base, a Condsef quer assegurar tamb�m que o governo continue negociando a equipara��o das tabelas salariais de n�vel superior com a Lei 12.277/10, concedendo mesmo percentual de reajuste para servidores de n�vel intermedi�rio e auxiliar. Al�m disso, a Confedera��o cobra que o governo promova aumento em benef�cios como aux�lio alimenta��o e plano de sa�de.

Fonte: Condsef com Sintsep-GO

VEJA MAIS

governo padroniza propostas de reajuste

.

A Condsef iniciou a semana participando, nesta segunda-feira, dia 20, de cinco reuni�es no Minist�rio do Planejamento: C&T, Inmetro, INPI, Incra/MDA e Lei 12.277/10. Nas quatro primeiras o governo voltou a apresentar reajuste de 15,8% a serem divididos em 3 anos. A padroniza��o das propostas n�o tem conseguido solucionar os impasses que mant�m cerca de 30 categorias em greve em todo o Brasil. Nesta terca, dia 21, as categorias voltam a se unir em mais um Dia Nacional de Luta. A mobiliza��o � total em mais uma semana importante para assegurar desfechos nas negocia��es com o governo. A Condsef tem buscado dialogar no sentido de encontrar propostas alternativas que viabilizem o atendimento de propostas urgentes dos setores em greve, bem como as suspens�o do corte de ponto dos servidores. A entidade volta ao Planejamento na quarta, dia 22, para tentar formatar propostas que possam se analisadas pelos servidores desses quatro setores. Na �ltima reuni�o do dia, que busca equaliza��o da tabela criada pela lei 12.277/10, o secret�rio de Rela��es do Trabalho, S�rgio Mendon�a, disse que as demandas est�o pautadas pelo governo que ainda n�o teve tempo h�bil de concluir debates internos. Por isso, uma nova reuni�o est� prevista para esta ter�a, �s 21 horas. O presidente do Sintsep-GO, Ademar Rodrigues, est� em Bras�lia acompanhando todos os desdobramentos das reuni�es entre Condsef, governo e demais entidades representativas dos servidores federais.

Al�m de seguir buscando uma proposta alternativa para os setores de sua base, a Condsef quer assegurar tamb�m que o governo continue negociando reestrutura��o das carreiras, incluindo demandas como gratifica��o de qualifica��o, busca da equipara��o das tabelas salariais de n�vel superior com a Lei 12.277/10, concedendo mesmo percentual de reajuste para servidores de n�vel intermedi�rio e auxiliar. Al�m disso, a Confedera��o cobra que o governo promova aumento em benef�cios como aux�lio alimenta��o e plano de sa�de.

O governo tem s� at� o dia 31 de agosto para enviar projetos de lei ao Congresso Nacional com previs�o or�ament�ria para 2013. Mas os benef�cios n�o entram nessa obrigatoriedade legal e podem ser concedidos reajustes pelo governo a qualquer tempo. A expectativa � de que o Planejamento � que insiste em dizer estar no limite na apresenta��o de percentuais de reajuste � flexibilize em alguns pontos da negocia��o com os servidores. A crise econ�mica continua sendo o principal argumento do governo para n�o atender �s principais reivindica��es apresentadas pelos servidores ainda em janeiro deste ano. Mas nos �ltimos dois anos o governo da presidenta Dilma Rousseff j� concedeu mais de R$ 300 bilh�es em benef�cios � iniciativa privada. O cen�rio leva a crer que o governo tem margem para buscar solu��o de conflitos instalados tamb�m no setor p�blico que passa por uma crise e quer melhorias no atendimento � popula��o.

Decreto 7.777/12 e corte de ponto
A assessoria jur�dica da Condsef tamb�m segue buscando solu��o para derrubar o Decreto 7.777/12 que j� est� no Supremo Tribunal Federal (STF) para ser analisado. A Condsef e suas filiadas tamb�m v�o buscar a��es que assegurem o sal�rio descontado de servidores. At� ter�a, 21, a Condsef entrar� com uma a��o no STF para revogar atos autorit�rios do governo Dilma contra os servidores. Em alguns casos j� relatados, categorias tiveram 100% dos seus sal�rios descontados pelo governo o que inviabiliza o sustento e sobreviv�ncia de fam�lias inteiras.

Com informa��es da Condsef

VEJA MAIS

mais de 10 mil participam de marcha em bras lia



.

Enquanto mais de 10 mil servidores p�blicos marchavam nesta quarta-feira, dia 15, na Esplanada dos Minist�rios – protestando contra a falta de negocia��o por parte do governo Federal – a presidente Dilma Rousseff anunciava um novo pacote de incentivos ao empresariado, determinando a inje��o de mais R$ 133 bilh�es em investimentos para a iniciativa privada. Para os servidores, at� o momento, n�o respostas ou sinaliza��es positivas. Mas, de acordo com mat�ria publicada hoje (16), no Correio Braziliense, o governo j� admite contingenciar cerca de R$ 22 bilh�es para reajustes �s categorias. Confira aqui as fotos da participa��o do Sintsep-GO na marcha.

Ainda esta semana, duas reuni�es est�o previstas para amanh� (17) – uma delas sobre a equaliza��o das tabelas salariais, referente a Lei 12.277/10, que atinge pelo menos 18 categorias da base da Condsef e outra sobre as Ag�ncias Reguladoras – sendo que o Minist�rio do Planejamento montou um calend�rio de reuni�es com v�rios setores para esta e a pr�xima semana.

Novo pacote
O novo pacote de incentivos anunciado nesta quarta � voltado para a area de infraestrutura – rodovias e ferrovias – e ainda prev� concess�o a empres�rios das malhas vi�rias em todo pa�s. As frequentes iniciativas que favorecem o setor privado e a forma como tem tratado os servidores em greve � com corte de ponto e at� decreto para substituir trabalhadores p�blicos � fizeram com que a presidente Dilma recebesse elogios p�blicos do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Este n�o � encarado como um sinal favor�vel para a presidente j� que FHC conduziu um governo de car�ter neoliberal que, ap�s oito anos conhecidos como �anos de chumbo�, foi fortemente repudiado nas elei��es presidenciais.

Nada para o setor p�blico
Enquanto em um ano foram injetados cerca de R$ 300 bi em �incentivos� � ind�stria, no mesmo per�odo o governo contingenciou mais de R$ 105 bi das areas sociais. Na �poca de sua campanha presidencial, a presidente Dilma chegou a mencionar a import�ncia de se investir no setor p�blico para garantir atendimento eficaz para a popula��o brasileira. Relembre um desses discursos clicando neste v�deo. Mesmo encarando uma greve em mais de 30 categorias � uma das mais fortes da hist�ria do funcionalismo � e um movimento crescente de luta dos servidores por melhores condi��es de trabalho e servi�os p�blicos eficientes, o governo da presidente Dilma tem mostrado uma inabilidade para dialogar com os servidores e at� agora n�o apresentou nenhuma proposta para a maioria dos setores em greve.

Frente ao descaso e as a��es de trucul�ncia com que o governo Dilma tem tratado os servidores, mais do que nunca a recomenda��o do Comando Nacional de Greve � de manter total press�o para que n�o se repita o mesmo filme do ano passado, quando o governo encaminhou apenas no dia 31 de agosto um projeto de lei ao Congresso Nacional. Com mais de 400 emendas apresentadas, praticamente uma nova negocia��o teve que ocorrer dentro do Congresso Nacional. Apenas este ano o projeto fruto da negocia��o do ano passado conseguiu ser aprovado mesmo sem atender as reivindica��es urgentes dos setores e depois de infinitos problemas. O cen�rio desse ano conta com uma greve geral forte do funcionalismo e que deve ser o diferencial para assegurar que o governo apresente as propostas que possam atender ao conjunto da categoria. O que se espera s�o propostas imediatas capazes de por fim aos conflitos instalados.

Em Goi�s, o Sintsep-GO conclama os companheiros e companheiras a manter a mobiliza��o e as paralisa��es, tendo em vista que apenas a uni�o dos servidores vai possibilitar que se estabele�a algum n�vel de negocia��o com o governo.

Fonte: Sintsep-GO com Condsef

VEJA MAIS

governo protela mais uma vez apresenta o de proposta

.

Em reuni�o ocorrida na manh� desta ter�a-feira, entre o Comando Nacional de Greve dos servidores e o Secret�rio de Rela��es do Trabalho do Minist�rio do Planejamento, Or�amento e Gest�o, S�rgio Mendon�a, o governo voltou a dizer que ainda n�o pode apresentar nenhuma proposta concreta aos servidores.

De acordo com o presidente do Sintsep-GO, Ademar Rodrigues, o secret�rio solicitou um prazo at� sexta-feira, dia 17, mas sinalizou que a proposta apresentada aos setores “n�o chegaria nem perto” do que est� colocado na Lei 12.277/10, que rege as chamadas “carreiras transversais”, cujas tabelas tem sido utilizadas como referencial pela Condsef no processo de equaliza��o salarial das diversas carreiras do Executivo – conforme entendimento acertado entre governo e servidores ainda em 2011.

VEJA MAIS

adin contra decreto 7 777 12 tem 1 decis o no stf

.

Foi divulgada a primeira decis�o do STF (Supremo Tribunal Federal) a respeito da A��o Direta de Inconstitucionalida (Adin) requerida por entidades sindicais, entre elas a Condsef, contra o Decreto 7.777/12 do governo Dilma autorizando a substitui��o de servidores em greve. A decis�o do relator, ministro Dias Toffoli, aponta que – em raz�o da relev�ncia da mat�ria e de seu significado – ser� adotado procedimento breve para que a decis�o seja tomada em car�ter definitivo pelo plen�rio do STF. Na avalia��o da assessoria jur�dica da Condsef, a decis�o do ministro pressup�e o reconhecimento, ainda que preliminar, da legitimidade das entidades propositoras da a��o. Al�m disso, ao observar a relev�ncia da mat�ria retratada na Adin, a leitura inicial da a��o no STF traz sinais de que o decreto em quest�o tem, sim, aspectos inconstitucionais.

Al�m da Adin contra o Decreto 7.777/12, entidades representativas dos servidores federais se uniram para formalizar uma den�ncia na OIT (Organiza��o Internacional do Trabalho) contra as pr�ticas antissindicais do governo Dilma. Os servidores reclamam do tratamento dado pelo governo durante a greve leg�tima do setor. Ao inv�s de negociar e buscar o di�logo, apresentando uma proposta que possa por fim aos conflitos instalados, o governo tem tentado derrotar o movimento determinando corte de ponto e at� autorizando a substitui��o de servidores que lutam por melhores condi��es de trabalho.

Fonte: Condsef

VEJA MAIS

planejamento confirma duas reuni es para esta ter a feira dia 14

.

Sintsep-GO est� presente em Bras�lia, no Acampamento da Greve, e vai participar de todas as atividades desta semana, que � decisiva para o processo de negocia��o

O Minist�rio do Planejamento, Or�amento e Gest�o (MPOG) confirmou, junto � Condsef, a realiza��o de duas reuni�es nesta ter�a-feira, dia 14. A primeira ocorre �s 10 horas e vai ter como tema a Lei 12.277/10, que criou tabela salarial diferenciada para cinco cargos de n�vel superior do Executivo (Estat�stico, Engenheiro, Ge�logo, Economista, Arquiteto). Desde ent�o, os servidores lutam pela equipera��o da tabela para os demais cargos de n�vel superior e mesmo percentual de reajuste para os n�veis intermedi�rio e auxiliar. Pelo menos 18 categorias da base da Condsef tem interesse direto nessa discuss�o. A segunda reuni�o est� prevista para �s 14 horas e vai tratar demandas dos servidores do Incra e Minist�rio do Desenvolvimento Agr�rio (MDA). Os servidores da Area Agr�ria se somam �s mais de 26 categorias da base da Condsef em greve em 25 estados e no Distrito Federal. Segundo o Planejamento outros encontros ser�o confirmados ao longo da pr�xima semana considerada decisiva. Para aguardar as respostas do governo, entre os dias 13 e 17, servidores de todo o Brasil v�o reeditar o �Acampamento da Greve�.

O objetivo � promover vig�lias constantes e pressionar o governo em busca do atendimento das demandas mais urgentes do funcionalismo. Na sexta-feira (10), representantes do F�rum Nacional de Entidades se reuniriam para discutir os detalhes das atividades da pr�xima semana. Na quarta, 15, os servidores protagonizam mais uma grande marcha na Esplanada dos Minist�rios. Todas as atividades e os esfor�os seguem sendo feitos na expectativa de que o governo traga para a negocia��o uma proposta capaz de atender as reivindica��es do conjunto dos federais. Para isso a mobiliza��o deve ser refor�ada e a press�o da categoria por respostas do governo �s principais reivindica��es do setor p�blico deve ser intensificada.

Governo � denunciado na OIT
Na �ltima quinta, dia 9, todas as entidades representantivas dos servidores federais se uniram para formalizar uma den�ncia na OIT (Organiza��o Internacional do Trabalho) contra as pr�ticas antissindicais do governo Dilma. Os servidores reclamam do tratamento dado pelo governo durante a greve leg�tima do setor. Ao inv�s de negociar e buscar o di�logo, apresentando uma proposta que possa por fim aos conflitos instalados, o governo tem tentado derrotar o movimento determinando corte de ponto e at� autorizando a substitui��o de servidores que lutam por melhores condi��es de trabalho. Este � o caso do Decreto 7.777/12, considerado pelos servidores com inconstitucional. Ontem, a Condsef e demais entidades que possuem categorias em greve, entraram com uma A��o Direta de Inconstitucionalidade (Adin) no Supremo Tribunal Federal (STF) contra o decreto que permite a subsitui��o de servidores grevistas.

VEJA MAIS
  • 1
  • 2