servidores federais interditam trecho da br 153 em goi nia



.

Atividade marcou mais um dia de protestos contra a falta de negocia��o por parte do governo Federal com os servidores. Em Goi�s, Funasa e MS (�rea meio) engrossam greve a partir de 3 de agosto

Em mais um protesto contra a falta de negocia��o por parte do governo, servidores p�blicos federais interditaram nesta manh� (31), por cerca de meia-hora, o trecho da BR-153 em frente ao Pa�o Municipal (pista sentido norte/sul). Confira aqui as fotos!

Auxiliados por integrantes da Pol�cia Rodovi�ria Federal, cujas entidades representativas tamb�m faziam parte do protesto, os servidores cobraram do Executivo respostas � pauta de negocia��es. �O prazo que o governo pediu para dar uma resposta aos servidores vence hoje e, at� o momento, nada foi apresentado�, afirmou o presidente do Sintsep-GO, Ademar Rodrigues.

A greve, que se estende desde o dia 18 de junho, j� alcan�a quase seis mil servidores federais em todo o Estado (Cnem, MDA, Incra, Sesai, Minist�rio da Sa�de, DNPM, Avisa e Anatel), considerando tamb�m as universidades p�blicas e institutos de ensino superior � professores e servidores t�cnico-administrativos. Em todo o pa�s, 26 categorias de 25 estados � al�m do Distrito Federal � se encontram paralisados. Segundo a Condsef, o n�mero de servidores parados em todo Brasil j� atinge 450 mil.

�O cen�rio fica ainda mais grave ap�s of�cio enviado pelo Minist�rio do Planejamento, adiando a rodada de negocia��es para a segunda quinzena de agosto, ou seja, v�o tentar nos enrolar at� n�o dar mais tempo de discutir nada � como tem sido feito todos esses anos. Mas desta vez, o final vai ser diferente. Os setores est�o unidos; s�o mais de 30 entidades nacionais participando de uma greve unificada. A greve s� termina com uma negocia��o satisfat�ria para o conjunto dos servidores�, enfatizou Ademar, ressaltando que apenas os professores universit�rios foram chamados a negociar, recusando as duas propostas apresentadas.

Al�m do Sintsep-GO e do SINT-IFESgo, participaram do protesto integrantes do Sinjufego, do SinPRF, da FenaPRF, do MST, da CUT, da CTB, da Comurg, da Adufg, da Conlutas, da Fasubra, da UNE, da Assincra-GO, da Asmitego, da Assemda/GO e do SindAgencias.

Entre os pontos de negocia��o, os servidores exigem: reajuste salarial, cumprimento da database, condi��es de trabalho, realiza��o de concurso p�blico, valoriza��o das carreiras e equaliza��o das tabelas salariais.

Novas ades�es
Fortalecendo ainda mais o movimento dos servidores, a Funasa e o restante do Minist�rio da Sa�de (�rea meio) j� deram o ultimato que v�o aderir � greve a partir do dia 3 de agosto. �Paulatinamente todos os �rg�os v�o aderir. Infelizmente, n�o tem outro caminho para negociar com este governo que n�o seja esse�, ressaltou o presidente do Sintsep-GO.

VEJA MAIS

dnpm e ag ncias reguladoras fazem ato de protesto



.

Com apoio do Sintsep-GO, servidores do Departamento Nacional de Produ��o Mineral (DNPM), da Anvisa e da Anatel, em Goi�s, realizaram na manh� desta segunda-feira (30) ato de protesto em frente � sede da Funasa, no centro de Goi�nia, contra a falta de negocia��es por parte do governo.

Os servidores denunciaram o sucateamento dos �rg�os e a falta de condi��es e equipamentos de trabalho para os servidores. “Quando estamos em campo, n�o temos sequer GPS para trabalhar. Ou compramos do nosso bolso, ou pedimos para algu�m que est� no campo conosco”, informou um dos servidores do DNPM.

De acordo com informa��es relatadas durante o ato, a paralisa��o das ag�ncias em Goi�s j� provocou preju�zos da ordem de R$ 80 milh�es em mercadorias paradas no Porto Seco de An�polis, desde o dia 23 de junho. Cerca de 95 toneladas de produtos est�o estocados, sem deferimento para serem expedidas, sendo que a capacidade de estoque do Porto Seco � de apenas 57 toneladas.

“N�s n�o queremos trazer preju�zos � popula��o. Queremos apenas que o governo compreenda nosso valor, valorize o setor p�blico e nos trate com respeito. O DNPM, por exemplo, arrecada cerca de R$ 2 bilh�es em receita para o governo e obt�m de volta, em investimentos, menos de R$ 300 mil”, desabafou o servidor do �rg�o.

Desde 2004, o governo Federal reconhece o DNPM como uma ag�ncia reguladora, mas n�o equiparou as carreiras dos servidores com as demais ag�ncias, apresentando uma defasagem de mais de 30% nos valores dos vencimentos.

Juntos, DNPM, Anvisa e Anatel possuem, em Goi�s, 134 servidores que se encontram, praticamente, parados por conta da greve nacional dos servidores p�blicos federais.

VEJA MAIS

servidores se mobilizam em atividades para o pr ximo dia 31

.

Mesmo frente ao cen�rio no qual o governo ainda n�o apresentou as respostas que a categoria tanto aguarda, permanecem grandes as expectativas dos servidores para que o governo apresente respostas concretas �s principais reivindica��es da categoria at� a pr�xima ter�a-feira, dia 31. Este � o prazo que a Secretaria de Rela��es do Trabalho (SRT) do Minist�rio do Planejamento vem apontando como prov�vel, mas n�o certo, para apresentar respostas concretas do governo � pauta dos servidores. Neste dia, mais de 26 categorias em 25 estados e no DF v�o se unir num Dia Nacional de Lutas, que ser� tamb�m uma grande vig�lia na expectativa da apresenta��o de respostas positivas ao movimento. Em Goi�s, o Sintsep-GO prepara uma grande atividade unificada, com toda a base do servi�o p�blico federal, de paralisa��o das atividades e mobiliza��o, aguardando alguma resposta do Planalto.

“Estamos mobilizando todos os setores para que no dia 31 pr�ximo, o m�ximo de servi�os p�blicos federais esteja paralisado em todo o Estado. Vamos planejar uma atividade que aglutine centenas de companheiros na capital”, informou o presidente do Sintsep-GO, Ademar Rodrigues.

Belchior diz que governo est� �refazendo� contas
Algumas not�cias veiculadas na m�dia trouxeram declara��es da ministra Miriam Belchior informando que o governo est� �refazendo� as contas para saber quais propostas podem ser feitas, nas palavras da ministra �de maneira respons�vel�. Nas declara��es � imprensa Belchior disse ainda que as propostas do governo ser�o apresentadas no fim de julho ou in�cio de agosto.

A Condsef e o Comando Nacional de Greve refor�am que fortalecer a greve � a orienta��o que permanece e �nica forma de garantir atendimento das demandas mais urgentes dos servidores. Al�m do dia 31 de julho, est� prevista ainda a realiza��o de mais uma grande marcha na Esplanada dos Minist�rios em Bras�lia no dia 9 de agosto. Tamb�m no dia 9 a Condsef realiza mais uma reuni�o do CDE e outra plen�ria nacional da entidade ser� convocada para o dia 10 de agosto no Clube dos Previdenci�rios em Bras�lia.

Todos os esfor�os devem continuar sendo feitos para manter a luta por melhores condi��es de trabalho e investimentos que tragam servi�os gratuitos e de qualidade para o Brasil. Enquanto o governo n�o apresenta propostas concretas e n�o traz novidades significativas ao cen�rio de negocia��es, a orienta��o continua sendo a de unidade e mobiliza��o intensas.

Fonte: Sintsep-GO com Condsef

VEJA MAIS

governo busca retaliar direito dos servidores greve

.

Sem apresentar qualquer proposta para a maioria dos servidores do Executivo, o Governo Federal tem preferido a retalia��o como forma de acabar com uma greve leg�tima e forte de mais de 26 categorias em 25 estados e no Distrito Federal. Mesmo derrotado no DF por uma liminar, obtida pelo Sindsep-DF, que garante aos servidores exercer o direito de greve sem que tenham seus pontos cortados, o governo j� acionou a AGU para tentar derrubar a decis�o judicial. Al�m disso, a presidente Dilma Rousseff publicou o Decreto 7.777/12 – que para a Condsef � inconstitucional e permite a substitui��o de servidores grevistas.

Na mesma linha, o ministro da Sa�de, Alexandre Padilha, tamb�m publicou uma Portaria objetivando substituir grevistas em areas como Anvisa, ANS, Funasa, Fiocruz, hospitais e outros setores onde servidores lutam por reivindica��es urgentes que visam tamb�m um melhor atendimento � popula��o. Essas desesperadas tentativas do governo em frear um movimento leg�timo de greve ferem diretamente o direito dos trabalhadores e n�o podem ser toleradas em uma sociedade democr�tica de direito. A categoria deve resistir a todos esses ataques e n�o pode permitir que amea�as sejam o fio condutor de um processo negocial que deve buscar o consenso e n�o gerar mais conflitos.

Assessorias jur�dicas est�o unidas para analisar e buscar combater todos os ataques que a categoria vem sofrendo. A Condsef, o Comando Nacional de Greve e todas as demais entidades que representam categorias que conduzem esse movimento leg�timo continuam refor�ando a necessidade de fortalecer a greve e garantir a press�o necess�ria para que o governo apresente propostas �s demandas apresentadas. At� agora s� os docentes receberam proposta oficial do governo. Os demais servidores querem a chance de poder analisar e discutir em assembleias em todo o Brasil se o que o governo tem a apresentar atende �s necessidades da maioria.

Fonte: Condsef

VEJA MAIS

servidores distribuem bananas popula o simbolizando descaso do governo



.

Atividade contou com a presen�a de diversos setores que j� aderiram � greve nacional por tempo indeterminado. Em Goi�s, seguem em greve por tempo indeterminado os servidores do Minist�rio do Desenvolvimento Agr�rio (MDA); do Incra; da Secretaria Especial de Sa�de Ind�gena (Sesai); do n�cleo do Minist�rio da Sa�de (cedidos ao Estado e aos munic�pios); da Comiss�o Nacional de Energia Nuclear (Cnem); do DNPM e das Ag�ncias Reguladoras Anvisa e Anatel.

Servidores p�blicos federais liderados pelo Sintsep/GO e pelo SINT-IFESgo realizaram na manh� desta quarta-feira, dia 25, na Pra�a do Bandeirante (centro de Goi�nia) um ato p�blico reivindicando abertura de negocia��es entre governo e trabalhadores. Clique aqui para conferir as fotos.

Descontentes com a falta de perspectivas apontadas pelo governo Federal, que tem se recusado a estabelecer uma proposta razo�vel de reajuste para os diversos setores do Executivo, os servidores distribu�ram bananas � popula��o, simbolizando o descaso do governo com a pol�tica salarial dos trabalhadores e, consequentemente, com a qualidade do servi�o p�blico oferecido � popula��o. �A banana � para amenizar a fome de quem passa na pra�a do Bandeirante e para mostrar � sociedade como � que o governo tem tratado os servidores p�blicos federais�, apontou o presidente do Sintsep-GO, Ademar Rodrigues.

A atividade contou com a presen�a de diversos setores que j� aderiram � greve nacional, por tempo indeterminado, como professores universit�rios, servidores t�cnico-administrativos e do n�cleo do Minist�rio da Sa�de, bem como dos �rg�os: Funasa, DNPM, Anatel, Anvisa, Cnem, Incra, MDA e Sesai, entre outros.

Setores da sociedade civil organizada como sindicatos (Sindsa�de/GO), entidades ligadas a trabalhadores da Comurg, ao movimento de mulheres negras � al�m do deputado Estadual Mauro Rubem (PT-GO) � engrossaram as manifesta��es, cobrando respostas e encaminhamentos �s demandas dos servidores por parte do governo Federal.

Os movimentos e entidades utilizaram o espa�o tamb�m para protestarem por mais seguran�a no Estado de Goi�s, pelos direitos das mulheres negras (j� que no dia 25 de julho comemora-se Dia Internacional da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha) e pelo retorno de 30 trabalhadores da Comurg que foram demitidos injustamente pela empresa goianiense � na atual administra��o � ap�s protestarem por condi��es m�nimas de trabalho e reajuste salarial.

Desde o in�cio do ano diversas categorias do servi�o p�blico federal est�o em greve. At� o momento, o Minist�rio do Planejamento, Or�amento e Gest�o apresentou propostas concretas aos docentes � duas, no total, que j� foram inclusive recusadas. Para os outros setores a data marcada seria, a princ�pio, 31 de julho.

Al�m do Sintsep/GO e do SINT-IFESgo, protagonizaram o ato a Assincra/GO, a Fasubra, a Assemda/GO e o Sindag�ncias. Em Goi�s, seguem em greve por tempo indeterminado os servidores do Minist�rio do Desenvolvimento Agr�rio (MDA); do Incra; da Secretaria Especial de Sa�de Ind�gena (Sesai); do n�cleo do Minist�rio da Sa�de (cedidos ao Estado e aos munic�pios); da Comiss�o Nacional de Energia Nuclear (Cnem); do DNPM e das Ag�ncias Reguladoras Anvisa e Anatel.

VEJA MAIS

condsef aponta novo calend rio de atividades para fortalecer greve

.

Depois da semana de intensas atividades em Bras�lia e a realiza��o de uma marcha hist�rica que reuniu mais de 15 mil servidores e estudantes na Esplanada dos Minist�rios, Condsef e entidades que coordenam em n�vel nacional a greve dos servidores p�blicos planejam novo calend�rio de atividades.

O calend�rio deve ser discutido com o F�rum Nacional de Entidades que comp�em a Campanha Salarial 2012 para que as a��es sejam integradas e unificadas por todas as categorias em greve. Um Dia Nacional de Lutas com atividades nos estados deve acontecer no dia 31 de julho, prov�vel data apontada pelo Minist�rio do Planejamento para apresentar propostas concretas para a maioria dos servidores do Executivo. A Condsef e suas filiadas tamb�m v�o participar das atividades convocadas pela CUT, CTB e CSP-Conlutas no dia 2 de agosto. A Confedera��o tamb�m prev� a realiza��o de mais uma marcha a Bras�lia no dia 9 de agosto. Todas as a��es visam o fortalecimento da greve e aumento da press�o na busca por avan�os significativos nos processos de negocia��o com o governo.

Tamb�m no dia 9 de agosto a Condsef realiza mais uma reuni�o do CDE e outra plen�ria nacional da entidade ser� convocada para o dia 10 de agosto no Clube dos Previdenci�rios em Bras�lia. Todos os esfor�os devem ser feitos para manter a luta por melhores condi��es de trabalho para os servidores e investimentos que tragam servi�os gratuitos e de qualidade para o Brasil. Enquanto o governo n�o apresenta propostas concretas e n�o traz novidades significativas ao cen�rio de negocia��es, a orienta��o continua sendo a de unidade e mobiliza��o intensas.

Quanto mais o governo empurrar os processos de negocia��o, mais os servidores devem se mobilizar. Somente o refor�o na mobiliza��o nacional ser� capaz de fazer com que a categoria obtenha vit�rias significativas em um processo de negocia��o que ainda n�o apresentou as respostas de melhoria que os servidores e servi�os p�blicos necessitam. Porque como diz a frase, se lutando � dif�cil vencer, � imposs�vel vencer sem lutar.

Fonte: Sintsep/GO com Condsef

VEJA MAIS

reuni o frustra expectativa dos trabalhadores

.

Nesta quarta-feira (18), � noite, mais uma reuni�o na Secretaria de Rela��es do Trabalho para negociar a equipara��o da maioria do Executivo com tabela salarial criada pela Lei 12.277/10 terminou sem qualquer avan�o. Apesar de reconhecer o momento importante protagonizado pelos servidores, o Planejamento voltou a dizer que ainda n�o tem condi��es de apresentar propostas e que continua trabalhando com o dia 31 de julho como data prov�vel, n�o certa, de apresenta��o de algo para a categoria.

Para a Condsef, a reuni�o frustrou os �nimos e expectativas de que o governo pudesse apresentar hoje retorno para as sugest�es e cr�ticas feitas ao �diagn�stico� que auxilia nas discuss�es que buscam reestrutura��o salarial para a maioria do Executivo. A Confedera��o refor�a a import�ncia de seguir fortalecendo a mobiliza��o e a greve em todo o Brasil.

Plen�rias
Os rumos do movimento v�o justamente ser debatidos em plen�rias que acontecer�o nesses pr�ximos dias. Nesta quinta, 19, a Condsef promove uma Plen�ria Nacional a partir das 14 horas no Clube dos Previdenci�rios, em Bras�lia. A base da Confedera��o que possui mais de 26 categorias em greve em 25 estados e no Distrito Federal vai avaliar o movimento e levar essa avalia��o para a Plen�ria Conjunta que todas as categorias em greve v�o realizar na sexta, 20, �s 9 horas, no �Acampamento da Greve�.

Informa��es recebidas pela Confedera��o trazem ainda que o �ltimo estado que ainda n�o havia aderido ao movimento, Alagoas, j� aderiu � greve por tempo indeterminado. Dessa forma, em todos os estados onde h� entidades filiadas � Condsef, incluindo o Distrito Federal, a greve dos servidores federais segue crescendo.

A mobiliza��o da categoria deve ser ampliada dia a dia. Quanto mais o governo empurrar os processos de negocia��o, mais os servidores devem se mobilizar. Somente o refor�o na mobiliza��o nacional ser� capaz de fazer com que a categoria obtenha vit�rias significativas em um processo de negocia��o que ainda n�o apresentou as respostas de melhoria que os servidores e servi�os p�blicos necessitam. Porque como diz a frase, se lutando � dif�cil vencer, � imposs�vel vencer sem lutar.

Calend�rio de atividades do Acampamento dos Servidores
Confira abaixo o calend�rio de atividades do Acampamento dos Servidores nesta quinta-feira e sexta-feira, dias 19 e 20, em Bras�lia. Delega��o do Sintsep-GO est� presente nas atividades desde o in�cio da semana, fortalecendo os atos:

Quinta-feira – 19/07
:: 7h � Piquete na portaria dos �rg�os em greve;
:: 9h � Assembleia Geral para avaliar e deliberar sobre a proposta do governo, no Espa�o do Servidor;
:: 14h � Plen�ria Aberta da Condsef, no Clube dos Previdenci�rios (PREVI).

Sexta-feira – 20/07
:: 10h � Plen�ria Conjunta dos Federais, no Acampamento da Greve.

Com informa��es da Condsef

VEJA MAIS

servidores p blicos federais em greve ocupam esplanada dos minist rios



.

Companheiros do Sintsep-GO engrossaram nesta quarta-feira, dia 18, a Marcha Nacional Unificada dos servidores p�blicos federais, em Bras�lia, que busca abrir negocia��es com o governo Federal (confira aqui as fotos). Milhares de servidores ocuparam a Esplanada dos Minist�rios exigindo um n�vel satisfat�rio de negocia��o por parte do Executivo.

A passeata, intitulada de “Chega de enrola��o! Negocia, Dilma!” foi organizada pelo F�rum Nacional das Entidades dos Servidores P�blicos Federais, composta pela Condsef e 32 entidades nacionais que representam as categorias. H� diverg�ncia no quantitativo de servidores presentes ao ato: enquanto a Pol�cia Militar estimou mais de 10 mil pessoas, as lideran�as sindicais contabilizaram cerca de 15 mil trabalhadores participando da marcha.

Entoando gritos de guerra, carregando faixas e bandeiras e vestindo camisetas com mensagens de protesto, os servidores partiram da catedral e marcharam para a Pra�a dos Tr�s Poderes, seguindo depois, em passeata, at� o Minist�rio do Planejamento. O tr�nsito nas seis faixas da Esplanada dos Minist�rios, dos dois lados, foi fechado e teve que ser desviado para vias alternativas.

O movimento contou com a participa��o de todos os setores em greve (confira quadro), dos 24 Estados do pa�s, al�m do Distrito Federal. Entre as principais reivindica��es, est�o reajuste salarial imediato, condi��es de trabalho, realiza��o de concursos. �Essa manifesta��o � uma luta para a valoriza��o dos servidores. Nos mobilizamos devido � intransig�ncia do governo, que d� prioridade a outros gastos e n�o se importa com o servi�o p�blico. At� agora, s� foi oferecida uma proposta � Associa��o Nacional dos Docentes do Ensino Superior [Andes]. As outras categorias ainda aguardam propostas. Vamos manter a paralisa��o at� que haja uma negocia��o que satisfa�a �s nossas reivindica��es”, afirmou o dirigente nacional da Central Sindical e Popular Conlutas (CSP-Conlutas), Jos� Maria de Almeida.

O servidor da Ag�ncia Nacional de Transportes Aquavi�rios (Antaq), Arthur Yamamoto, acredita que o governo esteja usando o discurso de crise econ�mica e impacto or�ament�rio para n�o ceder nas negocia��es, deixando o funcionalismo p�blico de lado. “Os servidores das ag�ncias reguladoras n�o recebem aumento salarial desde 2008. O Sinag�ncias e o Mpog [Minist�rio do Planejamento, Or�amento e Gest�o] fazem reuni�es desde dezembro do ano passado e nada foi decidido. Por isso entramos em greve. Reivindicamos a recomposi��o salarial, equipara��o com cargos de carreira t�pica de Estado e a remunera��o por subs�dio. Muitos desses itens n�o t�m um impacto or�ament�rio”, pontuou Yamamoto.

�A luta do servidor � para a sociedade como um todo. Lutamos por melhorias na estrutura e pelo n�o sucateamento dos �rg�os p�blicos. As conquistas que obtivermos v�o refletir em melhorias no atendimento � popula��o”, disse a servidora da Funasa, Carla Berberick.

“Mais de mil estudantes est�o aqui. Mais uma vez exigimos a negocia��o das pautas. A educa��o precisa melhorar”, criticou Luiza Carreiro, estudante de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), sem aulas desde o dia 17 de maio, quando foi iniciada a paralisa��o dos docentes dos institutos federais. Luiza Carreiro queixa-se ainda da falta de estrutura do campus e alega que h� poucos professores para muitos alunos.

Segundo o professor da Universidade Federal do Esp�rito Santo, Mauro de Carvalho, a proposta oferecida pelo Minist�rio do Planejamento � Andes n�o atende �s reivindica��es pautadas pela categoria. �Viemos for�ar o governo a fazer a negocia��o com os sindicatos, o que ele est� se negando. A proposta oferecida pelo Planejamento para a Andes � baseada em aumento salarial. J� a pauta apresentada pelo sindicato � baseada na reestrutura��o da carreira dos docentes e em melhores condi��es de trabalho. Al�m disso, lutamos contra a expans�o do ensino sem as condi��es adequadas”, disse.

O presidente do Sintsep-GO, Ademar Rodrigues, informou que os servidores aguardam alguma resposta do governo at� o in�cio da noite, quando a Confedera��o dos Trabalhadores no Servi�o P�blico Federal (Condsef) tem reuni�o agendada no Minist�rio do Planejamento, �s 19h. Segundo a �ltima estimativa da Condsef, cerca de 350 mil servidores est�o em greve em todo o pa�s.

Sintsep-GO com Ag�ncia Brasil

VEJA MAIS

dnpm inicia paralisa o geral em goi s nesta ter a dia 17

.

A Superintend�ncia do Departamento Nacional de Produ��o Mineral (DNPM) em Goi�s se integrou, a partir desta ter�a-feira, dia 17, ao movimento nacional de paralisa��o dos servidores p�blicos federais. Diversas superintend�ncias do �rg�o – inclusive a central, em Bras�lia – j� est�o em greve desde ontem, dia 16. A tend�ncia � de que servidores do DNPM em todo pa�s paralisem suas atividades, fortalecendo o movimento que busca for�ar o governo a um processo de negocia��o com os trabalhadores.

VEJA MAIS

momento decisivo acampamento da greve instalado

.

Foi montada nesta segunda-feira a estrutura na Esplanada dos Minist�rios que dar� suporte aos servidores p�blicos no �Acampamento da Greve�, atividade que re�ne servidores em greve de todo o Brasil em busca da apresenta��o de propostas concretas do governo para o funcionalismo. V�rias delega��es da base da Condsef j� chegaram a Bras�lia. Entre eles servidores de Goi�s, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Para�ba, Pernambuco, Rond�nia, Rio de Janeiro e Mato Grosso. A chegada de mais caravaneiros est� sendo aguardada para hoje, 17. Tamb�m nesta ter�a ter�o in�cio as atividades de mobiliza��o pelo destravamento das negocia��es com apresenta��o de propostas concretas � categoria. A partir das 9 horas os caravaneiros v�o se concentrar no acampamento. De l� os servidores promovem uma caminhada at� o Bloco C do Minist�rio do Planejamento onde promovem uma vig�lia durante toda a manh�. Nesta segunda a Condsef tamb�m encaminhou ao Planejamento mais um documento com cr�ticas e sugest�es � 2� vers�o do �diagn�stico� enviado pelo governo � entidade nesta segunda (confira aqui).

� tarde as atividades se concentram em frente ao Pal�cio do Planalto onde servidores de todo o Brasil far�o um movimento para cobrar uma postura do governo Dilma com rela��o aos servidores federais. A categoria segue apreensiva com a falta de propostas concretas do governo. O cancelamento de uma reuni�o para tratar da equipara��o de tabelas remunerat�rias a partir da Lei 12.277/10, reivindica��o urgente que abrange a maioria dos servidores do Executivo, deve acirrar os �nimos dos servidores que v�o participar das atividades de mobiliza��o desta semana em Bras�lia.

A Condsef segue refor�ando que o fortalecimento da mobiliza��o dos servidores em todo o Brasil � fundamental neste momento. O processo de negocia��es encontra-se num momento decisivo. A apresenta��o de propostas concretas que assegurem inclus�o das demandas urgentes da categoria no or�amento 2013 depende da for�a e unidade dos servidores. Al�m das manifesta��es que ocorrem nesta ter�a, na quarta est� prevista uma grande marcha na Esplanada dos Minist�rios que deve terminar no bloco K do Minist�rio do Planejamento com pedido de audi�ncia com a ministra Miriam Belchior.

Plen�rias
Ainda durante a semana de atividades em Bras�lia, est�o programadas plen�rias para discutir os rumos do movimento grevista e luta dos servidores pelo Brasil. No dia 19, quinta, a Condsef realiza uma Plen�ria Geral no Clube dos Previdenci�rios, �s 14 horas. E na sexta, dia 20, a Condsef tamb�m participa de Plen�ria Conjunta dos Federais a partir das 10 horas no �Acampamento da Greve�.

Para que as negocia��es finalmente tragam resultados pr�ticos e se revertam em propostas concretas ao funcionalismo, a mobiliza��o da categoria deve ser ampliada dia a dia. Quanto mais o governo empurrar os processos de negocia��o, mais os servidores devem se mobilizar. Somente o refor�o na mobiliza��o nacional ser� capaz de fazer com que a categoria obtenha vit�rias significativas em um processo de negocia��o que ainda n�o apresentou as respostas de melhoria que os servidores e servi�os p�blicos necessitam. Porque como diz a frase, se lutando � dif�cil vencer, � imposs�vel vencer sem lutar.

Fonte: Condsef

VEJA MAIS