fnde e inep firmam acordo com governo

.

Nesta segunda-feira, dia 29, servidores do Inep e FNDE foram as primeiras categorias da base da Condsef a firmar acordo no Minist�rio do Planejamento. Outros setores, como PGPE CPST e carreiras correlatas, Area Ambiental, Tecnologia Militar, INPI, Inmetro, Ci�ncia e Tecnologia – que tiveram reuni�o nesta segunda, at� uma da manh� – ainda buscam ajustes e entendimento para firmar acordo. Todas as categorias que ainda buscam ajustes voltar�o ao planejamento na manh� desta ter�a. At� esta quarta os produtos das propostas ter�o que estar no Congresso Nacional. S� na proposta referente ao PGPE, CPST e correlatas est�o reunidas cerca de doze categorias.

Em todos os casos, o Minist�rio do Planejamento informou que n�o h� possibilidade de qualquer altera��o nas propostas apresentadas que gere impacto or�ament�rio. A SRH reconhece dificuldades or�ament�rias para assegurar melhores propostas e diz que o governo concorda em continuar processo de negocia��o j� a partir de setembro com compromisso de fortalecer vencimento b�sico dos setores da base da Condsef.

A Condsef segue buscando formaliza��o e assinatura dos demais setores de sua base. Todos os acordos formalizados ser�o divulgados nas p�ginas da Confedera��o e do Sintsep-GO. Ao todo, cerca de 500 mil servidores entre ativos, aposentados e pensionistas est�o inseridos nos processos de negocia��o com o governo.

Fonte: Sintsep-GO com Condsef

VEJA MAIS

servidores ainda aguardam proposta final do governo

.

Ap�s esperar por mais de tr�s horas por reuni�o que n�o aconteceu, diretores da Condsef receberam recado do secret�rio de Recursos Humanos do Minist�rio do Planejamento, Duvanier Paiva, de que a proposta com ajustes s� ser� encaminhada nesta segunda-feira, dia 29. Paiva alegou uma viagem de �ltima hora para n�o apresentar a proposta nesta sexta, como havia se comprometido na quinta, 25. O governo manteve inalterada proposta remunerat�ria para servidores do PGPE, CPST e carreiras correlatas. Sobre a solicita��o de que os reajustes fossem concedidos a partir de janeiro de 2012, Paiva concordou em estudar a possibilidade de que os valores incidam a partir de mar�o de 2012. Sobre benef�cios, a Condsef solicitou que o governo especificasse detalhes de como ser� concedido reajuste. A Condsef busca reajuste em dois momentos: um primeiro com impacto emergencial a partir de novembro deste ano e outro ainda no 1� semestre de 2012. Assim que a Condsef receber a proposta formal do Planejamento um link ser� disponibilizado aqui em nossa p�gina para conhecimento da categoria.

Entre os ajustes propostos houve concord�ncia tamb�m em assegurar que as negocia��es para extens�o da Lei 12.277/10 tenham continuidade. O secret�rio acrescentou que o governo se compromete a definir calend�rios de negocia��es para continuar os debates a partir de setembro deste ano. Mas para o or�amento de 2012, que exige o envio de projetos at� o pr�ximo dia 31 de agosto, este � o limite do governo.

Fonte: Sintsep-GO com Condsef

VEJA MAIS

planejamento mant m inalterada proposta remunerat ria para 420 mil servidores

.

O Minist�rio do Planejamento manteve inalterada proposta de reajuste – na gratifica��o de desempenho – apresentada aos servidores do PGPE, CPST e carreiras correlatas. A proposta do governo prev� um teto de R$ 7 mil para servidores de n�vel superior (NS) enquanto oferece incremento de R$ 211 na gratifica��o do n�vel intermedi�rio (NI) e R$ 105 para n�vel auxiliar (NA). A Condsef levou ao minist�rio uma contraproposta aprovada pela categoria solicitando reajuste linear de 33% na remunera��o (VB+Gratifica��o) incidindo sobre o vencimento b�sico para todos os n�veis. Mais de 420 mil servidores entre ativos, aposentados e pensionistas est�o envolvidos nesta proposta. Alegando dificuldades or�ament�rias devido ao cen�rio de crise, o secret�rio de Recursos Humanos, Duvanier Paiva, deu o recado do governo aos servidores: do ponto de vista remunerat�rio, n�o h� condi��es de melhorar nenhuma proposta apresentada pelo governo. Outras categorias tamb�m t�m demandas inseridas nesta mesma proposta. O Planejamento informou que o �pacote� precisa ser encaminhado at� o dia 31 de agosto. Sobre a solicita��o de que os reajustes fossem concedidos a partir de janeiro de 2012, Paiva concordou em estudar a possibilidade de que os valores incidam a partir de mar�o de 2012. O Planejamento se comprometeu a apresentar um novo texto da proposta ainda nesta sexta, 26.

Houve concord�ncia tamb�m em assegurar no texto da proposta que as negocia��es para extens�o da Lei 12.277/10 tenham continuidade. Depois de apresentar as limita��es para n�o acatar a contraproposta dos servidores, o Planejamento reconheceu que o que apresentou est� insuficiente, mas que para o momento � o que pode ser feito. Voltando a citar �restri��es severas�, Paiva refor�ou que este � um primeiro passo que est� sendo dado em dire��o a necess�rias recomposi��es e reestrutura��es de carreiras do Executivo. O secret�rio acrescentou que o governo se compromete a definir calend�rios de negocia��es para continuar os debates a partir de setembro deste ano. Mas para o or�amento de 2012, que exige o envio de projetos at� o pr�ximo dia 31 de agosto, este � o limite do governo.

Fonte: Sintsep-GO com Condsef

VEJA MAIS

na 4 marcha mais de 20 mil marcham na esplanada

.

A 4� marcha em defesa dos servidores e servi�os p�blicos ganhou refor�o de trabalhadores do campo, estudantes e integrantes de movimentos populares. A atividade reuniu mais de 20 mil manifestantes que caminharam sob um sol forte desde o est�dio Nilson Nelson at� a Pra�a dos Tr�s Poderes. De diferentes areas e setores os participantes da marcha carregavam suas bandeiras espec�ficas de luta e juntos cobravam mais aten��o do governo � classe trabalhadora. Uma das entidades que ajudaram na organiza��o da marcha, a Condsef participou de reuni�o na Casa Civil com o secret�rio-geral da Presid�ncia da Rep�blica, ministro Gilberto Carvalho. No encontro, a entidade reclamou da falta de objetividade nas negocia��es com o governo e cobrou mais respeito nos processos de di�logo que definem o futuro da vida funcional de milhares de servidores p�blicos.

Centenas de integrantes do Sintsep-GO se integraram ao movimento. A dire��o da entidade permaneceu em Bras�lia desde a �ltima segunda-feira, dia 22, para acompanhar todo o calend�rio nacional de mobiliza��o e negocia��o.

Entre as pautas entregues ao ministro estava tamb�m a cobran�a pela derrubada do PLP 549/09 que prop�e limites em investimentos p�blicos pelos pr�ximos dez anos. Gilberto Carvalho disse que o governo n�o � favor�vel ao corte de investimentos no setor p�blico e que vai conversar com a presidenta Dilma e a ministra Miriam Belchior sobre as quest�es apresentadas.

A Condsef ponderou com o ministro a import�ncia de se assegurar um desfecho para o processo de negocia��es em curso que teve in�cio ainda no governo Lula. A morosidade do governo a apresentar algo que atenda de forma urgente as demandas dos servidores est� levando diversas categorias a optar por paralisa��es por tempo indeterminado. Servidores da educa��o est�o em greve h� quase 80 dias. No in�cio desta semana, ap�s um encontro nacional do setor, servidores do Minist�rio da Cultura, da base da Condsef tamb�m decidiram refor�ar este movimento.

Cerca de 500 mil servidores da base da Confedera��o seguem na expectativa da apresenta��o de uma resposta do Minist�rio do Planejamento para a contraproposta aprovada em plen�ria nacional realizada nesta segunda. O Planejamento prometeu responder � categoria nesta quinta-feira, 25.

Trabalhadores unidos
Outras pautas apresentadas � Casa Civil cobram mais investimento na agricultura familiar, 10% do PIB (Produto Interno Bruto) revertidos em educa��o para a popula��o, pol�tica eficiente em reforma agr�ria e aten��o do governo �s necessidades dos trabalhadores brasileiros.

A Condsef parabeniza todos os participantes da atividade desta quarta que coloriu a Esplanada dos Minist�rios com a for�a dos trabalhadores. �S�o momentos como estes que mostram que a unidade tem o poder de mover a categoria em dire��o a conquistas importantes; em busca de justi�a social para este pa�s�, disse Josemilton Costa, secret�rio-geral da Condsef.

Fonte: Condsef

VEJA MAIS

condsef apresenta contraproposta ao planejamento

.

Em reuni�o que se estendeu at� 1h da madrugada de ter�a-feira (23), a Condsef apresentou ao Minist�rio do Planejamento uma contraproposta aprovada em sua plen�ria nacional. Os debates da categoria foram feitos a partir de uma minuta (veja aqui) que apresentava reajustes de 2,3% a 31% para servidores do PGPE, CPST e carreiras correlatas. Entre os itens da contraproposta est� a concess�o de aumento linear de 33% na remunera��o (VB+Gratifica��o) incidindo sobre o vencimento b�sico para todos os n�veis (NS, NI e NA). Uma vez que o reajuste incida sobre o VB, ativos, aposentados e pensionistas t�m assegurados os mesmos percentuais. Al�m disso, os servidores querem que o reajuste seja concedido a partir de janeiro de 2012 e n�o julho de 2012 como vem proposto na minuta. O Planejamento solicitou prazo at� est� quinta, 25, para analisar a contraproposta e apresentar uma resposta.

A Condsef solicitou ainda melhora na reda��o das cl�usulas, inclus�o de uma tabela salarial que indique reajustes por padr�o e apresenta��o de um documento formal com timbre e assinatura da Secretaria de Recursos Humanos (SRH) do Planejamento. Na contraproposta est� ainda a solicita��o para que o governo determine per�odo em que ser� concedido reajuste para benef�cios como aux�lio-alimenta��o, creche, plano de sa�de, transporte e outros.

Os servidores querem ainda continuidade das negocia��es para garantir a equipara��o com a tabela criada pela Lei 12.277/10 at� 2013. Por assembleia, servidores do SPU aprovaram a busca por sua inclus�o nesta proposta. A plen�ria nacional autorizou a Condsef a dar continuidade aos debates com o governo a partir destas propostas de ajuste.

Principais pontos da contraproposta:

:: Aumento linear de 33% na remunera��o (VB+Gratifica��o) incidindo sobre o vencimento b�sico para todos os n�veis (NS, NI e NA);
:: Reajuste a partir de janeiro de 2012 e n�o julho de 2012;
:: Melhora na reda��o das cl�usulas;
:: Inclus�o de uma tabela salarial que indique reajustes por padr�o;
:: Inclus�o dos servidores do SPU na proposta;
:: Apresenta��o de documento formal com timbre e assinatura da SRH;
:: Determinar per�odo em que governo conceder� reajuste para benef�cios como aux�lio-alimenta��o, creche, plano de sa�de, transporte e outros;
:: Continuidade das negocia��es para garantir a equipara��o com tabela da Lei 12.277/10 at� 2013.

Fonte: Condsef

VEJA MAIS

sintsep go participa de plen ria nacional da condsef

.

Com presen�a do Sintsep-GO e demais entidades filiadas � Condsef, Plen�ria Nacional da Condsef vota, na tarde desta segunda-feira (22), quais ser�o as a��es que a Confedera��o deve tomar a partir do cen�rio colocado. S� ent�o, respaldada por sua base, a Confedera��o se posicionar� sobre como se dar�o os rumos da luta em defesa do atendimento de reivindica��es urgentes da categoria.

�Todas as not�cias divulgadas pela Condsef, relativas aos processos de negocia��o de que diretamente participa, t�m o cuidado de trazer dados leg�timos com informa��o transparente�, disse Josemilton Costa, secret�rio-geral da Condsef. Costa acrescenta que a entidade age com a responsabilidade de levar at� o servidor aquilo que possu� respaldo informativo. �Esta minuta n�o cumpre os requisitos b�sicos, necess�rios para creditar-lhe essas caracter�sticas e n�o possu� a chancela do governo, n�o podemos respald�-la como informa��o oficial�, ponderou. Todo o processo de negocia��o baseia-se em situa��es limites e podem trazer reviravoltas a partir de situa��es como a vivenciada agora.

Nada mais sensato que aguardar os posicionamentos dos representantes eleitos legitimamente em todos os estados para participar da plen�ria da Condsef. Ser�o servidores eleitos em assembl�ias pelo Brasil que v�o determinar quais os passos que a Condsef ir� tomar a partir do que est� sendo apontado como proposta do governo para os servidores. A agenda de atividades da Confedera��o prossegue assim:

22/08 (segunda-feira)
Plen�ria nacional da Condsef a partir das 14 horas (tenda montada na Esplanada dos Minist�rios)

23/08 (ter�a-feira)
Atividades de press�o no Congresso Nacional pela derrubada de projetos como PL 1922/07 e PLP 549/09 e aprova��o de projetos como PEC�s 270 (aposentadoria integral para afastados por invalidez), 210 (restabelece adicional por tempo de servi�o) e PLs 5149/09 (reintegra��o PDVistas celetistas) e 4293/08 (reintegra��o PDVistas estatut�rios), entre outros.

24/08 (quarta-feira)
4� grande marcha em defesa dos servidores e servi�os p�blicos na Esplanada dos Minist�rios (concentra��o a partir das 9 horas na Catedral, em Bras�lia).

Fonte: Sintsep-GO com Condsef

VEJA MAIS

ang stia de mais de 420 mil servidores prolongada por planejamento

.

Aumenta a ansiedade de servidores p�blicos do PGPE, CPST e carreiras correlatas para a formaliza��o de uma proposta referente � extens�o de tabela salarial da Lei 12.277/10. Dizendo que oficializaria a proposta nesta quinta-feira (18), o Minist�rio do Planejamento volta a deixar mais de 420 mil servidores sob suspense. Ao longo do dia a Condsef participou de uma s�rie de reuni�es para tratar temas espec�ficos de setores como Tecnologia Militar, INPI, Inmetro, Area Ambiental, readmitidos do governo Collor e Ci�ncia e Tecnologia. Em todos os encontros a Condsef pressionou a Secretaria de Recursos Humanos (SRH) para que, finalmente, fossem apresentadas propostas concretas para avalia��o dos servidores em assembleias. Com uma plen�ria nacional agendada para segunda, 22, a Condsef espera que a categoria possa debater a partir de dados concretos. Com ou sem proposta os servidores v�o votar rumos e a��es de press�o decisivas para assegurar atendimento de demandas urgentes e propostas firmadas pelo governo.

Na pr�xima semana os servidores da base da Condsef vir�o de todo o Brasil para participar da 4� marcha em defesa dos servidores e servi�os p�blicos na Esplanada dos Minist�rios. Ao todo, as demandas eleitas como priorit�rias pelo Planejamento e negociadas com a Condsef devem atingir cerca de 500 mil servidores entre ativos, aposentados e pensionistas. Os processos de negocia��o visam a reestrutura��o dessas carreiras em busca de melhores proventos para remunera��es defasadas e fortalecimento de carreiras importantes para assegurar atendimento p�blico a popula��o brasileira.

No limite
Os discursos sobre a crise e a necessidade de conter �gastos p�blicos� seguem dificultando os processos de negocia��o. Apesar de n�o dizer em momento algum que os servidores p�blicos ficar�o sem reajustes, o Planejamento tem feito quest�o de sinalizar que est� trabalhando no �seu limite� para a apresenta��o de uma proposta.

Os servidores da base do Sintsep-GO e da Condsef devem estar preparados e atentos. A maioria ir� votar e decidir se vai aceitar ou n�o o que prop�e o governo. As entidades v�o defender aquilo que a maioria de sua base determinar como essencial para cada setor.

Fonte: Condsef

VEJA MAIS

press o dos servidores consegue adiar vota o do pl 1 992 07 na c mara

.

O governo mandou recado ao Congresso Nacional. Quer aprovar mudan�as na previd�ncia dos servidores p�blicos mesmo sem acordo com sindicatos. A amea�a de um rolo compressor n�o intimidou a categoria. Representantes de servidores do Executivo, Legislativo e Judici�rio lotaram nesta quarta-feira, dia 17, a Comiss�o de Trabalho, Administra��o e Servi�o P�blico (Ctasp) da C�mara dos Deputados. Na press�o e na ra�a os servidores conseguiram adiar mais uma vez a vota��o do PL 1.992/07 que prev� cria��o de Previd�ncia Complementar para o setor.

A mat�ria volta para a pauta de vota��o da C�mara no pr�ximo dia 24. O relator da proposta, deputado Silvio Costa, quis aprovar o texto hoje sem ao menos l�-lo. Ele foi um dos alvos centrais de protesto de manifestantes e at� parlamentares da Ctasp. Num discurso cheio de preconceitos, Costa classificou servidores como �casta de privilegiados� e �amantes de uma boquinha�. O deputado n�o mencionou que o d�ficit previdenci�rio e rombo de R$ 52 bilh�es que o governo cobra dos servidores � na verdade um mito e nada tem a ver com os trabalhadores do setor.

Estudo feito pela Anfip (Associa��o Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil) mostra que em 2010 houve um superavit de R$ 58 bilh�es nas contas da Previd�ncia. Al�m de mostrar que o atual sistema nacional previdenci�rio � sustent�vel, o estudo derruba a tese do governo de que h� d�ficit no setor. Na verdade, ainda segundo a Anfip, as contas aparecem deficit�rias porque o governo retira dinheiro da �rea para pagar juros da d�vida p�blica, por exemplo. O d�ficit, portanto, n�o vem do pagamento de aposentadorias e benef�cios e n�o � provocado pelos trabalhadores.

Crise � desculpa da vez
O forte lobby que o Executivo tem feito dentro do Congresso para aprovar o PL 1992/07 precisa ser enfrentado com toda for�a pelos servidores. Na pauta do Congresso desde 2007, o cen�rio da crise mundial � a nova desculpa que vem sendo usada pelo governo para aprovar altera��es nas regras de direitos de aposentadoria dos servidores. Al�m de penalizar futuros servidores, os atuais n�o est�o fora de risco.

Com a aprova��o do PL, para ter direito a qualquer valor acima do teto fixado pelo INSS em R$ 3.689,66, o servidor teria que buscar ades�o, facultativa, � uma funda��o de direito privado. Sobre a inten��o do governo, especialistas alertam que entregar a administra��o de aposentadorias p�blicas nas m�os da iniciativa privada, al�m de ferir direito constitucional dos servidores, n�o resolve o problema do d�ficit da Previd�ncia. Trocando o certo pelo duvidoso, servidores que recorressem a esta entidade de direito privado teriam que aderir a um plano de contribui��o certa, mas de benef�cio incerto, que variar� de acordo com as reservas acumuladas no per�odo de contribui��es.

O PL volta � pauta da C�mara no mesmo dia em que servidores de todo Brasil realizam sua 4� marcha unificada na Esplanada dos Minist�rios. Recentemente, na Gr� Bretanha, mais de 750 mil servidores p�blicos protestaram no pa�s contra a tentativa do governo brit�nico de mexer em regras da previd�ncia. Para impedir que o governo passe seu rolo compressor nos trabalhadores, uma nova onda de press�o deve tomar conta do Congresso pela derrubada de projetos que amea�am direitos e esmagam servidores a condi��o de vil�os de problemas que tem raiz na m� administra��o do governo.

Fonte: Condsef

VEJA MAIS

espet culo que narra a vida de carlos marighella chega goi nia



.

O Mandato Popular do deputado Mauro Rubem (PT-GO), em parceria com o Sintsep-GO, a Anigo, o Sindsa�de/GO, o Sindifisco e a CUT-GO, traz � Goi�nia a pe�a teatral Carlos Marighella e o Chamado de Cangoma, criada pelo Vermelho N�cleo C�nico de Santa Catarina. O espet�culo solo retrata a luta do inimigo n�mero um da ditadura, seus ideais, a a��o parlamentar, a paix�o pela poesia e o clamor pela liberdade. Com isso, o parlamentar busca manter viva a mem�ria da luta do povo brasileiro pela sua emancipa��o e resgatar os ideais deste revolucion�rio.

Goi�nia ter� 3 apresenta��es, com entradas gratuitas. O espet�culo foi escrito por Eliane Lisb�a e dirigido por P�pe Sedrez, com atua��o de Lourival Andrade, que tamb�m � historiador. Retrata n�o apenas a vida de Marighella, mas, principalmente, o alcance das atitudes do revolucion�rio que lutou pela liberta��o dos trabalhadores, a sua sensibilidade art�stica, a liga��o com as crian�as, a forte liga��o com o carnaval e o futebol e seu amor e dedica��o � Clara Charf.

Em um momento em que se discute a cria��o do Comit� da Mem�ria e Verdade, o deputado Mauro Rubem apoia essa causa e luta para que o Brasil possa encarar a sua verdadeira hist�ria de frente para que n�o caia nas mesmas armadilhas e cometa os mesmos erros. �Tivemos 15 goianos desaparecidos durante a Ditadura Militar. De 2000 para c�, foram 36 jovens. Esta realidade s� vai mudar quando passarmos a limpo nossa hist�ria. Precisamos garantir que o respeito e dignidade prevale�am. A Comiss�o ser� uma vacina para o fortalecimento da democracia no nosso pa�s�, ressalta.

Confira o calend�rio de apresenta��es:
-Data: 24/08/11
Local: Centro Cultural Eldorado dos Caraj�s (Rua 83 Qd F14 Lt49 – Setor Sul)
Hor�rio: 20 horas

-Data: 25/08/11
Local: Teatro Inacabado (Avenida Anhanguera 7030 Esq. Rua P12 – Setor dos Funcion�rios)
Hor�rio: 20 horas

-Data: 26/08/11
Local: Centro Cultural U.F.G (Pra�a Universit�ria – Avenida Universit�ria, 1533)
Hor�rio: 20 horas

Apoio Cultural:
-Associa��o dos Anistiados pela Cidadania e Direitos Humanos do Estado de Goi�s (ANIGO)
-Sindicato dos Trabalhadores no Servi�o P�blico Federal no Estado de Goi�s (SINTSEP/GO)
-Sindicato dos Trabalhadores do Sistema �nico de Sa�de no Estado de Goi�s (SINDSA�DE/GO)
-Sindicato dos Funcion�rios do Fisco no Estado de Goi�s (SINDIFISCO)
-Central �nica dos Trabalhadores (CUT/GO)

VEJA MAIS

planejamento adia apresenta o formal da proposta para esta quinta dia 19

.

Na reta final de um dif�cil processo de negocia��es, continua a expectativa em torno da apresenta��o formal de uma proposta do governo que envolve a busca pela extens�o de tabela salarial criada pela Lei 12.277/10 aos servidores do PGPE, CPST e carreiras correlatas. Em reuni�o que come�ou �s 22h25 desta ter�a-feira, dia 16, o Minist�rio do Planejamento informou – sem falar em percentuais – que a proposta deve trazer incrementos na gratifica��o de desempenho dos servidores. A Condsef ponderou que seria importante o governo rever esta posi��o e assegurar que os valores sejam inseridos no Vencimento B�sico. Apesar de o Planejamento j� ter sinalizado certas diretrizes, uma proposta formal ainda n�o foi apresentada � categoria. Com prazos curtos para enviar projetos ao Congresso Nacional � a data limite � o dia 31 deste m�s � o governo ganha tempo e dificulta a vida dos servidores que ter�o pouqu�ssimas condi��es para analisar em que moldes reajustes ser�o assegurados para os setores eleitos, segundo o pr�prio Planejamento, como priorit�rios. O secret�rio de Recursos Humanos, Duvanier Ferreira, disse que a inclus�o de reajustes no VB ser� analisada e que a formaliza��o de proposta deve acontecer nesta quinta, 19.

A Condsef tem uma plen�ria nacional agendada para o dia 22, domingo. No dia 24 est� prevista uma grande marcha � Esplanada dos Minist�rios. O objetivo � reunir for�as para assegurar que a categoria tenha suas demandas mais urgentes atendidas. Al�m dos servidores do PGPE, CPST e correlatas que re�nem cerca de 420 mil servidores entre ativos, aposentados e pensionistas, outras categorias esperam tamb�m at� quinta a formaliza��o de propostas inseridas na lista de prioridades do governo. Entre esses setores est�o carreias como Inep, FNDE, Area Ambiental, Incra, Dnocs, celetistas do HFA, docentes do Ex-Territ�rio de Fernando de Noronha, Cultura, PECFAZ, administrativos da AGU e Pol�cia Rodovi�ria Federal, entre outros. Juntos esses setores somam cerca de 80 mil servidores entre ativos aposentados e pensionistas.

Ao todo, as demandas eleitas como priorit�rias pelo Planejamento e negociadas com a Condsef devem atingir cerca de 500 mil servidores. Os processos de negocia��o visam a reestrutura��o dessas carreiras em busca de melhores proventos para remunera��es defasadas e fortalecimento de carreiras importantes para assegurar atendimento p�blico a popula��o brasileira.

No limite
Os discursos sobre a crise e a necessidade de conter �gastos p�blicos� seguem dificultando os processos de negocia��o. Apesar de n�o dizer em momento algum que os servidores p�blicos ficar�o sem reajustes, o Planejamento tem feito quest�o de sinalizar que est� trabalhando no �seu limite� para a apresenta��o de uma proposta.

Os servidores da base da Condsef precisam estar preparados e atentos. A maioria ir� votar e decidir se vai aceitar ou n�o o que prop�e o governo. A Condsef vai defender aquilo que a maioria de sua base determinar como essencial para cada setor.

Fonte: Condsef

VEJA MAIS
  • 1
  • 2