que o natal

.

� a ternura do passado,
o valor do presente
e a esperan�a do futuro.
� o desejo mais sincero de que cada lar se encha com b�n��os ricas e eternas,
e de que cada caminho nos leve � paz.

(Agnes M. Pharo – Adapt.)

Este � o desejo do Sintsep-GO a todos os seus filiados(as), amigos(as), companheiros(as) de luta e de ideal.

Boas Festas! E um 2011 repleto de duradouras conquistas para todos n�s.

A Dire��o.

VEJA MAIS

nova dire o da condsef ser divulgada em janeiro

.

Eleita no X Congresso da Condsef, a nova dire��o da Confedera��o, que ficar� a frente da luta dos servidores federais pelos pr�ximos 3 anos (2011-2014), ter� seus nomes divulgados conhecidos no dia 10 de janeiro. O secret�rio-geral continua sendo Josemilton Costa.

At� o lan�amento da Campanha Salarial, a Condsef vai buscar a unidade com outras entidades representativas de servidores federais. O objetivo � somar for�as pela retomada do processo de negocia��es e contra amea�as que sondam a categoria como o PLP 549/09 que prev� congelamento de investimentos p�blicos pelos pr�ximos dez anos.

A dire��o da entidade deseja a todos servidores e servidoras um feliz Natal e um 2011 de muitas lutas e realiza��es. A Condsef preparou uma mensagem de fim de ano em homenagem aos servidores de sua base que pode ser vista na p�gina 8 da �ltima edi��o de nosso jornal. Boas festas!

Fonte: Sintsep-GO com Condsef

VEJA MAIS

clima de revolta entre os servidores federais

.

Reajuste a parlamentares, ministros e presidente repercute mal entre servidores, que cobram coer�ncia no discurso governista

H� um clima de revolta entre os servidores federais. A raz�o est� na aprova��o rel�mpago que ocorreu no Congresso Nacional nesta quarta-feira (15) garantindo reajustes salariais a parlamentares, ministros e presidente da Rep�blica. Ainda n�o se sabe exatamente qual ser� o impacto or�ament�rio da medida que est� sendo questionada, j� que os an�ncios da equipe econ�mica da presidente eleita, Dilma Rousseff, davam conta de que n�o havia qualquer possibilidade de conceder reajustes aos servidores para o pr�ximo ano.

As entidades representativas dos trabalhadores querem buscar uma explica��o sobre os crit�rios utilizados pelo governo para a concess�o de reajustes. A entidade questiona ainda o fato de os servidores do Executivo serem apontados como respons�veis pelo desequil�brio nas contas p�blicas quando n�o s�o eles quem tem seus sal�rios reajustados freq�entemente.

A Condsef n�o questiona o m�rito do reajuste e sim o fato de n�o haver coer�ncia no discurso promovido pela equipe econ�mica que aponta a necessidade de cortes nos gastos p�blicos. A entidade vai seguir defendendo com veem�ncia a derrubada definitiva do PLP 549/09 que est� tramitando no Congresso Nacional e prop�e limites a investimentos p�blicos pelos pr�ximos dez anos. Ser� cobrado tamb�m o envio urgente de projeto de lei (PL) com uma s�rie de acordos negociados com setores da base, mas ainda pendentes.

Fonte: Sintsep-GO com Condsef

VEJA MAIS

condsef cut e srh assinam memorial com hist rico de negocia es com governo

.

Documento ser� encaminhado � equipe de transi��o do governo para garantir a continuidade do processo de negocia��o e o alcance das conquistas obtidas pelos servidores federais

Um memorial (confira �ntegra aqui) com todo o hist�rico de negocia��es pendentes e ainda n�o encaminhadas pelo governo Lula foi assinado nesta ter�a-feira (14) pela Secretaria de Recursos Humanos (SRH) do Minist�rio do Planejamento, CUT (Central �nica dos Trabalhadores) e Condsef (Confedera��o dos Trabalhadores no Servi�o P�blico Federal). O documento ser� encaminhado � equipe de transi��o do governo, � futura ministra do Planejamento, Miriam Belchior, e � presidente Dilma Rousseff. O objetivo � garantir a continuidade do processo de negocia��o e o alcance das conquistas obtidas pelos servidores federais. A assinatura de um memorial foi apontada como iniciativa importante, pois assegura a democratiza��o das rela��es de trabalho e confian�a para o tratamento das reivindica��es dos trabalhadores da base da Condsef.

Al�m de itens que ainda n�o alcan�aram consenso entre servidores e governo, foram listados no memorial acordos j� firmados, mas que ainda n�o tiveram um encaminhamento final. Nessa situa��o est�o, por exemplo, Inep, Gacen/Gecen, Pecfaz e Ex-territ�rios. Tamb�m se incluem neste caso os demais cargos de n�vel superior que receber�o mesmo tratamento dado ao servidores incluidos na lei 12.277/10. Portanto, aos casos onde um consenso j� foi alcan�ado fica garantida a conclus�o e implanta��o dos acordos. Os demais ser�o remetidos ao governo de transi��o onde fica assegurada a continuidade do processo de negocia��o sem que este recomece do zero.

O memorial contextualiza de forma macro a pauta de reivindica��o contendo 31 pend�ncias de setores da base da Condsef. A expectativa � de que ele sirva como linha central para que o governo Dilma consiga superar os conflitos pendentes do governo Lula. A Condsef seguir� cobrando uma solu��o definitiva para todos esses itens listados. Assim que poss�vel a entidade tamb�m vai buscar uma reuni�o com a nova ministra do Planejamento para coloc�-la a par de todas as demandas que ser�o defendidas e cobradas ao longo de 2011 pelos setores da base da Condsef que somam mais de 80% do total de servidores do Executivo.

Atentos e mobilizados
Os servidores devem permanecer vigilantes � pauta contida neste memorial. Sem press�o as demandas tamb�m correm o risco de cair no esquecimento. Por isso, a Condsef orienta que toda sua base se organize e se mobilize em torno dessas quest�es para que a categoria obtenha sucesso e tenham todas as pend�ncias atendidas e conclu�das no pr�ximo ano.

Fonte: Sintsep-GO com Condsef

VEJA MAIS

plp 549 09 vota o fica mesmo para 2011

.

Alegando falta de qu�rum Comiss�o de Finan�as e Tributa��o obstrui vota��o de projeto que limita investimentos p�blicos pelos pr�ximos dez anos

A vota��o do Projeto de Lei Complementar (PLP) 549/09 vai mesmo ficar para 2011. A �ltima sess�o da Comiss�o de Finan�as e Tributa��o deste ano foi encerrada depois que parlamentares do PT se declararam em obstru��o (ausentes) e ficou determinada a falta de qu�rum para votar parecer da deputada Luciana Genro, contr�rio ao projeto. A mat�ria prop�e limites a investimentos p�blicos pelos pr�ximos dez anos. A sess�o contou com a presen�a importante de servidores p�blicos que protestaram com faixas e panfletos contr�rios ao projeto. De acordo com a assessoria da deputada Luciana Genro se fosse levado � vota��o nesta quarta-feira o PLP 549/09 provavelmente teria sido rejeitado como foi, por unanimidade, na Comiss�o de Trabalho, Administra��o e Servi�o P�blico.

Com a suspens�o da vota��o na Comiss�o de Finan�as e Tributa��o o relat�rio da deputada Luciana Genro ser� descartado. Um novo relator ser� escolhido no in�cio da pr�xima legislatura. Com isso, o trabalho dos servidores contra o PLP 549/09 ter� que recome�ar com for�a total no in�cio de 2011. Ainda de acordo com a assessoria da deputada Luciana Genro os servidores devem redobrar os esfor�os em torno da luta pela derrubada deste PLP. Caso o governo aprove um requerimento de urg�ncia, o projeto pode seguir direto ao Plen�rio para vota��o.

Como na pr�xima legislatura o governo ter� maioria no Congresso � importante buscar apoio do maior n�mero de parlamentares para derrotar esse projeto prejudicial n�o s� aos servidores como aos servi�os p�blicos brasileiros. Se aprovado no Plen�rio o PLP � encaminhado direto para san��o da presidente Dilma Rousseff.

Press�o total em 2011
A Condsef orienta todas as suas entidades filiadas a preparar a base da Condsef nos estados para um intenso trabalho junto aos parlamentares que far�o parte da pr�xima legislatura. Infelizmente, a deputada Luciana Genro que apoiou os servidores federais dando seu parecer contr�rio ao PLP n�o foi reconduzida ao cargo de deputada federal. Os servidores agradecem os esfor�os da parlamentar que sempre lutou em defesa dos interesses da classe trabalhadora e espera poder continuar contando com sua importante contribui��o na luta por um servi�o p�blico de qualidade para o Brasil.

A��es estrat�gicas de defesa aos servidores e servi�os p�blicos devem continuar acontecendo no Congresso Nacional. Condsef e suas filiadas seguem vigilantes e monitorando os caminhos que o projeto percorre no Congresso. Estudos feitos sobre a mat�ria j� comprovaram que na pr�tica, o limite de expans�o proposto pelo PLP 549/09 de 2,5% acima da infla��o ou da taxa do PIB (o que for maior) n�o dar� conta sequer da evolu��o natural da folha de pagamentos do Executivo.

A Condsef n�o vai admitir que, mais uma vez, tentem jogar nos servidores p�blicos a culpa pelo pretenso desequil�brio da economia brasileira. Este � um mito que deve definitivamente deixar de povoar as p�ginas dos principais notici�rios, pois n�o s� � injusto com servidores p�blicos, mas tamb�m com toda popula��o que depende de servi�os que s�o deveres do Estado fornecer.

Fonte: Sintsep-GO com Condsef

VEJA MAIS

eleita nova dire o da condsef

.

Com quatro chapas inscritas venceu a Chapa 1, apoiada pelo Sintsep-GO, “Frente para uma Condsef aut�noma e classista” com o total de 808 votos

Mais de 1500 delegados eleitos pela base dos servidores da Condsef escolheram no �ltimo domingo a dire��o que vai conduzir pelos pr�ximos tr�s anos a luta de 80% do total de servidores do Executivo Federal.

Com quatro chapas inscritas a democracia foi a marca da vota��o da nova dire��o da Condsef. Vencedora, a Chapa 1 �Frente para uma Condsef aut�noma e classista� somou 808 votos (50,79%). A Chapa 3 “Para vencer: Renova��o, unidade e luta” veio em segundo com 635 votos (39,91%). A Chapa 2 “Mudan�a na Condsef” contou com 120 votos (7,54%) seguida pela Chapa 4 “Renova��o com lutas – Unidade da categoria” com 28 votos (1,76%). Tr�s foi o n�mero de votos brancos e nulos.

Com o resultado, Josemilton Costa permanece como secret�rio-geral da Confedera��o. At� hoje, o X Concondsef foi o maior j� realizado nos vinte anos de exist�ncia da Confedera��o.

Maior Delega��o da hist�ria
Da mesma forma que o congresso, neste ano o Sintsep-GO garantiu a participa��o do maior n�mero de delegados na hist�ria do sindicato. “Nossa delega��o, composta por 40 companheiros(as) participou ativamente do congresso. � importante citar que todas as nossas propostas, nos grupos que participamos, foram aprovadas”, informou o presidente da entidade, Ademar Rodrigues.

VEJA MAIS

dia a dia do x concondsef

.

Delegados, observadores e convidados do X Concondsef assistiram ontem (09) � apresenta��o de uma mesa sobre os desafios dos trabalhadores no setor p�blico para o pr�ximo per�odo. Entre os convidados estavam M�nica Valente, representante da Internacional dos Servi�os P�blicos (ISP), Pedro Armengol pela CUT Nacional, Jos� Maria de Almeida pela CSP-Conlutas e Douglas Diniz da Unidos para Lutar. Todos foram un�nimes em apontar a import�ncia da rea��o dos servidores contra tentativas de ataques a direitos da categoria. O cen�rio de crise mundial foi abordado mostrando que h� uma tend�ncia internacional que joga para os trabalhadores a conta de um desequil�brio na economia de diversos pa�ses. No Brasil a tend�ncia n�o � diferente. A mobiliza��o foi o caminho apontado para que os trabalhadores p�blicos lembrem ao governo que ele n�o foi eleito com a agenda do candidato derrotado nas urnas.

� tarde o assessor jur�dico da Condsef tirou d�vidas sobre uma proposta de projeto de lei que trata de greve e negocia��o coletiva. O documento � fruto das discuss�es de um grupo de trabalho em que participam, entre outras entidades sindicais, Condsef e CUT. A discuss�o rendeu importantes interven��es. Direito de greve e Negocia��o Coletiva s�o os temas centrais deste X Concondsef.

Debates
Nesta sexta-feira, dia 10, o dia ser� dedicado a grupos de debate que far�o uma an�lise de diversos temas de interesse da categoria. O produto do trabalho desses grupos ser� levado a uma aprecia��o coletiva que acontece no s�bado. No domingo, al�m de votar e decidir quem vai dirigir a Condsef pelos pr�ximos tr�s anos, os delegados do congresso, eleitos por suas bases nos estados, tamb�m apontam as principais bandeiras de luta que ser�o defendidas pela Confedera��o e suas filiadas.

Fonte: Sintsep-GO com Condsef

VEJA MAIS

audi ncia p blica

.

Servidores do Minist�rio do Trabalho e Emprego em Goi�s discutem Ass�dio Moral sofrido durante greve nacional da categoria

Na �ltima segunda-feira, 6 de dezembro, o Sindicato dos Trabalhadores no Servi�o P�blico Federal em Goi�s (Sintsep/GO) protagonizou, ao lado dos servidores goianos da Superintend�ncia do Trabalho e Emprego (SRTE-GO), audi�ncia p�blica que discutiu o ass�dio moral sofrido pela categoria durante o movimento nacional de greve. Argumentando f�rias, o superintendente do �rg�o no estado e auditor fiscal do trabalho, Samuel Alves Silva, n�o apareceu, sendo substitu�do, na ocasi�o, pela tamb�m auditora Nalva Oliveira Resende. A atividade, solicitada pelo Sintsep/GO, foi promovida pela Comiss�o de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa.

Ap�s breve apresenta��o feita pelo sindicato, conceituando e exemplificando o ass�dio moral, tr�s casos emblem�ticos de ass�dio foram narrados por trabalhadores do �rg�o. Os depoimentos de Selma Alves Montelo, Adriana Ferreira Borges e Raquel Luz comoveram a plat�ia, composta por institui��es como Controladoria e Advocacia Geral da Uni�o (CGU e AGU), Minist�rio P�blico do Trabalho e entidades como a Confedera��o dos Trabalhadores no Servi�o P�blico Federal (Condsef), Central �nica dos Trabalhadores (CUT-GO), sindicatos dos servidores da Sa�de (Sindsa�de/GO), de t�cnicos e auxiliares em sa�de bucal (Sintasb/GO), Comiss�o Pastoral da Terra (CPT), Sindicato dos Auditores Fiscais do Trabalho em Goi�s (Sindafit-GO), Associa��o dos Servidores do MTE em Goi�s (Asmitego), entre outros.

Foram v�rias as den�ncias apresentadas pelo Sintsep/GO contra o grupo gestor da SRTE-GO. Todas comprovadas com documentos que compuseram um extenso dossi�, que foi entregue aos representantes das entidades e institui��es presentes. �Temos a companheira Selma que sofreu destitui��o do cargo por apoiar a greve (movimento legal, de acordo com julgamento e ac�rd�o do Superior Tribunal de Justi�a). Al�m de sofrer cal�nia e difama��o, ela foi proibida de pegar seus pertences pessoais na mesa onde trabalhava, tendo � inclusive � que marcar hor�rio para pegar suas coisas em seu pr�prio local de trabalho. A Adriana foi obrigada a expor sua vida pessoal por capricho do superintendente e a Raquel foi removida, colocada em uma fun��o inferior � sua forma��o�, informou o presidente do Sintsep-GO, Ademar Rodrigues.

Al�m desses casos emblem�ticos, diversos outros trabalhadores foram perseguidos pelo gestor por apoiarem e participarem da greve. �Muitos foram colocados para trabalhar em cub�culos � tr�s servidores juntos em lugares onde mal cabe uma pessoa�, complementou Ademar.

Abuso de autoridade
Foi relatado tamb�m o abuso de autoridade por parte da superintend�ncia da SRTE-GO ao fim do movimento, na forma de compensar os dias parados. �Ele quis definir como seria a compensa��o, da forma dele. No entanto, este � um acordo que est� sendo discutido em n�vel nacional. Nem sequer chegou-se a uma proposta definitiva, e ele trocou a fun��o de v�rios servidores � que participaram do movimento � argumentando ser em fun��o dessa compensa��o � algo que n�o est� em sua compet�ncia decidir, j� que o movimento contou e conta com amparo legal�, informou o presidente do Sintsep-GO.

Representante da Condsef na audi�ncia, Rog�rio Expedito afirmou que o caso de Goi�s seria utilizado de exemplo, em todo o pa�s, como bandeira de luta contra o ass�dio moral no MTE e em toda a administra��o p�blica. �N�s n�o vamos deixar isso passar batido. Estamos mobilizando organismos internacionais, al�m do pr�prio minist�rio, que tem que tomar uma atitude. Para n�s isso agora � uma quest�o de honra�, afirmou.

Superintend�ncia
Buscando defender a figura do superintendente, que n�o esteve presente � audi�ncia, a substituta Nalva Resende buscou negar e desqualificar todos os casos, chegando mesmo a insinuar que os trabalhadores � que estariam promovendo o ass�dio contra a chefia, e n�o o contr�rio. Al�m de ironizada pela plat�ia, sua postura foi duramente criticada na fala da presidente do Sindsa�de/GO, F�tima Veloso. �Negar a exist�ncia do ass�dio moral tamb�m � uma forma de ass�dio�, no que foi aplaudida.

Ao fim da audi�ncia, Ademar Rodrigues disse que, haja o que houver, o resultado desta audi�ncia n�o deve ficar �parado� na Assembl�ia. �Isso que houve aqui hoje deve ser divulgado, deve ser repassado oficialmente ao governo, � institui��es brasileiras e internacionais. � um absurdo como o Minist�rio do Trabalho e Emprego, que deve zelar pelas condi��es de trabalho de todos os brasileiros, promova esse tipo de situa��o dentro de sua pr�pria estrutura e se omita de promover justi�a � porque at� hoje, apesar das comprova��es, nada de concreto foi feito. N�s, servidores p�blicos, exigimos Justi�a e respeito�, ressaltou.

O presidente da Comiss�o de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa, deputado Mauro Rubem (PT-GO), disse que iria provocar esta discuss�o no governo federal, para que o caso receba alguma solu��o. Alem disso, v�rias entidades presentes se propuseram a assinar um documento em apoio aos servidores do MTE/GO contra as arbitrariedades dos gestores da superintend�ncia.

VEJA MAIS

iniciado x concondsef



.

Come�ou nesta quarta-feira, dia 9, o X Concondsef, maior inst�ncia de debate da Confedera��o dos Trabalhadores no Servi�o P�blico Federal (Condsef). Servidores p�blicos federais de Goi�s e de todo o Brasil est�o em Bras�lia, discutindo os rumos do movimento de luta da categoria. A abertura do evento deu o tom da disposi��o dos servidores de combater a tentativa do governo de aprovar projetos como o PLP 549/09 que pretende limitar investimentos p�blicos pela pr�xima d�cada. O combate a reformas anunciadas como a da Previd�ncia tamb�m est� apontado. O secret�rio-geral da Condsef, Josemilton Costa, disse que a entidade n�o vai medir for�as para unir a categoria em torno da defesa de suas principais bandeiras de luta. Para a Condsef, a resist�ncia dos servidores continuar� forte em 2011. Greves, mobiliza��es, atos, marchas, v�o continuar sendo usados em defesa dos servidores para garantir atendimento de demandas e respeito a direitos adquiridos.

Nesta quinta o X Concondsef come�a com debate conjuntura e o desafio dos servidores para o pr�ximo per�odo. O tema abre espa�o para que os servidores apontem e discutam o que esperam da administra��o que ter� a frente a primeira mulher presidente da Rep�blica. Ministros j� anunciados por Dilma Rousseff t�m mostrado que o per�odo n�o ser� f�cil. Redu��o de gastos e investimentos p�blicos est�o na pauta do governo e os ministros da Fazenda, Guido Mantega, e do Planejamento, Miriam Belchior, n�o escondem em suas declara��es que a ordem � cortar investimentos p�blicos.

Congresso organiza luta dos servidores
Esta pol�tica vai completamente de encontro � busca por um Estado mais forte e independente economicamente. Por entender que o crescimento do Brasil passa necessariamente pela melhora e fortalecimento de seus servi�os p�blicos o congresso da Condsef ser� um momento para organizar a luta dos servidores contra a l�gica anunciada pela equipe da presidente.

Fonte: Sintsep-GO com Condsef

VEJA MAIS
  • 1
  • 2